on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

De onde vem e o que é a gaita de fole?

Você certamente já deve ter ouvido o som característico da gaita de fole. Muito comum em músicas folclóricas de tradição bretanha, esse tipo de gaita existe há milhares de anos. Historiadores ainda não têm um consenso sobre o tempo exato da existência do instrumento. O que se sabe, porém, é que civilizações diversas podem ter tido contato com esse tipo de gaita. Uma característica da gaita de fole está justamente na construção do tubo melódico e do insuflador, que está ligado a uma espécie de bolsa de ar (chamada de fole). Isso faz com que o músico consiga tocar o instrumento de forma contínua, sem pausas para respirar durante a execução.

A gaita de fole ficou conhecida como instrumento típico da música folclórica escocesa (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Origem incerta

Apesar de ser conhecida como um instrumento de sopro tradicional da Escócia, a verdade é que não se sabe exatamente onde a gaita de fole pode ter surgido. Os historiadores registram que civilizações no Egito, na Grécia Antiga e em países árabes tocavam algum tipo de gaita em ocasiões festivas e cerimônias religiosas. Acredita-se que a gaita de fole tenha surgido pelas mãos de camponeses que criaram uma bolsa de ar nas gaitas tradicionais. Esse saco de ar, chamado de fole, tornava a execução das músicas mais fácil para o instrumentista, que teria menos esforço, já que o ar do fole faz com que o som seja produzido de forma contínua.

Loading...
A origem da gaita de fole é incerta (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Adaptações da gaita original

A gaita de fole se difundiu na Idade Média por toda a Europa graças às migrações de camponeses que viajavam em busca de trabalho. Logo, o instrumento ficou conhecido entre músicos populares. Foi provavelmente na mesma época em que adaptações foram feitas à gaita. Algumas delas, por exemplo, apresentavam chifres de animais que seriam usados para amplificar o som. Como o instrumento se popularizou por diferentes culturas, é possível encontrar até hoje tipos diferentes de gaitas de fole. Embora tenham a mesma estrutura, as várias gaitas de fole apresentam sonoridade diversa e variada.

O instrumento se difundiu na Idade Média por toda a Europa (George Marks/Retrofile/Getty Images)

Novos modelos

Com o passar do tempo, foi sendo criado modelos de gaitas de fole mais sofisticados. Havia instrumentos com fole mecânico e chaves especiais que permitiam novos sons. Uma das adaptações do instrumento original foi a chamada gaita das highlands, que possui uma potência sonora mais forte do que as outras. Assim, soldados do Império Britânico passaram a utilizar essa gaita de fole como instrumento de guerra para incentivar os soldados aliados antes do combate. O toque dela antecipava o combate iminente.

No Império Britânico, o instrumento passou a ser utilizado como arma de combate (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Declínio

Durante o movimento cultural do Romantismo, houve grande valorização da cultura de áreas bucólicas da Europa. Durante esse período, observou-se um resgate da gaita de fole em tradições campesinas, sobretudo na Escócia. Em meados no século 19 e por todo o século 20, a gaita de fole experimentou seu declínio. Atualmente, percebe-se um movimento cultural para resgatar a tradição da gaita de fole em todo o mundo, onde ela é considerada como instrumento erudito. No Brasil, há tocadores desse tipo de gaita sobretudo em locais com forte colonização europeia, como em áreas do interior de Santa Catarina, por exemplo.

Hoje em dia, a gaita de fole é considerada um instrumento erudito (Photodisc/Photodisc/Getty Images)
Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...