Quanto tempo as herpes podem ficar adormecidas?

Escrito por lisa sefcik | Traduzido por lily alves
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Os vírus que causam surtos de herpes genital, herpes simplex 1 e herpes simplex 2, são membros da família do herpesvírus, que também é responsável pela catapora, herpes zoster e o vírus Epstein-Barr, que causa a mononucleose. Para entender porque é difícil, se não impossível, prever quanto tempo a HSV-1 e HSV-2 pode ficar dormente, é importante entender a natureza desses vírus. Uma vez que o HSV entra no corpo, geralmente através de uma parte vulnerável da pele, como a boca ou a área genital, ele viaja para certos gânglios nervosos, onde ele "adormece" até que algo o desencadeie. Em seguida, percorre os caminhos neurais para o local inicial da infecção, e um surto pode ocorrer. A maioria das pessoas adquirem o HSV-2 através do contacto genital, mas cerca de dez por cento dos casos de herpes genitais são o resultado do HSV-1, que é passado para um parceiro não-infectado por via oral com um parceiro infectado por herpes oral causada pelo HSV-1.

Algumas pessoas podem ter HSV por meses ou mesmo anos sem experimentar um surto, enquanto outros observam uma manifestação quase imediata após a aquisição do HSV. A Clínica Mayo observa que é possível alguém que sofre um surto inicial passar 40 anos sem ter outro.

Outras pessoas estão lendo

Quando o HSV acorda

O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) indica que até 90 por cento das pessoas infectadas com herpes não sabem que estão infectadas porque elas têm sintomas muito leves, ou, às vezes, nenhum sintoma. No entanto, se alguém tem um surto inicial, na maioria das vezes ele ocorre dentro de duas semanas de aquisição de HSV de um parceiro sexual. Surtos genitais iniciais são normalmente acompanhados de sintomas de corpo inteiro, como uma dor de cabeça, dores nas articulações e inchaço das glândulas, semelhantes aos observado durante um caso de gripe, e duram entre duas e quatro semanas. O CDC afirma que a maioria das pessoas que observa surtos iniciais pode experimentar em torno de cinco ou seis surtos subsequentes durante o resto do ano, embora estes serão mais curtos e menos graves. As pessoas que vivem com herpes podem notar certos gatilhos que precedem os surtos subsequentes, tais como estresse, fadiga excessiva ou doença.

Mais sobre herpes

Mesmo quando o vírus é acionado, algumas pessoas podem não notar os sintomas físicos, de acordo com a Associação Americana de Saúde Social. Muitas vezes, a apresentação física da herpes genital pode ser tão simples que passa despercebida, ou parecida com uma infecção por fungos, picada de inseto ou uma reação a espermicida ou preservativo. No entanto, mesmo na ausência de lesões, quando o HSV "acorda", resulta em um derramamento assintomático do vírus, período em que uma pessoa infectada pode transmitir o vírus para os parceiros não-infectados através de pequenas fissuras na pele. Sintomas da herpes genital também podem passar despercebidas porque muitas pessoas que adquirem HSV-2 através da relação sexual já tem o HSV-1, o qual causa a herpes oral. Uma vez infectadas com o HSV-1, o corpo começa a produzir anticorpos para afastar os outros tipos de HSV.

Especialistas da Clínica Mayo determinaram que cerca de 70 por cento de todos os casos de herpes genital foram adquiridos quando um parceiro infectado não mostrava sinais físicos e sintomas, mas o HSV estava ativo. Há tratamentos médicos, mas não há cura. Como esta é uma doença altamente contagiosa e sexualmente transmissível, o uso regular e correto de preservativos de látex é aconselhável. Indivíduos sexualmente ativos que estão infectados com HSV-1 ou HSV-2 são incentivados a usar medicamentos antivirais orais em uma base diária para suprimir os surtos de herpes.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível