A história dos formatos VGA, CGA e EGA

Escrito por milton kazmeyer | Traduzido por lean pereira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história dos formatos VGA, CGA e EGA
PCs antigos eram limitados em sua representação gráfica (Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Computadores de uso pessoal- PCs- mais antigos possuíam sistemas gráficos bastante rudimentares. Em alguns casos, os jogos apenas usavam letras ou símbolos para representar objetos, limitando a imersão do usuário. O desenvolvimento de formas gráficas avançadas, no entanto, permitiu aos computadores exibir imagens e animações, eventualmente alcançando uma qualidade fotográfica. A hierarquia de adaptadores gráficos usados por PCs antigos incluiu os modos CGA, EGA e VGA.

Outras pessoas estão lendo

CGA

A IBM lançou o Adaptador Gráfico em Cores, também conhecido como CGA, em 1981. Essa placa de vídeo era capaz de exibir gráficos em quatro cores, seja por uma paleta de branco, ciano, magenta e preto ou uma paleta de amarelo, verde, vermelho e preto. No modo gráfico, a exibição CGA era limitada a 320 por 200 pixeis, embora o sistema pudesse exibir 640 por 200 em formato monocromático. Havia alguns ajustes de programação que permitiam gráficos de maior resolução ou maior quantidade de cores, mas os míseros 16k de memória significavam que suas capacidades eram bastante limitadas.

EGA

O sucessor do CGA foi o Adaptador Gráfico Aperfeiçoado, ou EGA, criado em 1984. Os gráficos do EGA eram mais avançados do que a geração anterior, permitindo ao sistema exibir 16 cores simultaneamente, escolhidas a partir de uma paleta de 64. O EGA também permitia uma resolução maior, de até 640 por 350 pixeis. A placa EGA padrão era vendida com 64k de memória, mas alguns modelos aceitavam ser atualizados para até 256k, permitindo algumas cores adicionais e modos de exibição avançados.

VGA

VGA significa Arranjo Gráfico de Vídeo, e esta geração de adaptadores visuais alcançou o mercado em 1987. Os sistemas VGA podiam exibir 256 cores simultâneas a partir de uma paleta de mais de 260.000, permitindo imagens muito mais realistas do que os padrões anteriores. A resolução máxima do VGA era de 640 por 480 pixeis, embora a placa gráfica pudesse apenas exibir 16 cores a esta resolução. Placas VGA possuíam pelo menos 256k de memória, com placas de expansão permitindo efeitos gráficos mais intensos. Esse era o modo padrão mais simples para usuários Windows, e ainda pode ser visto na inicialização do sistema ou na execução do Modo de Segurança de algumas versões.

Outros modos

Fabricantes lançaram um grande número de diferentes placas de vídeo usando tecnologias que vão além do padrão VGA. O próximo passo foi o Super VGA, permitindo uma resolução máxima de 800 por 600 pixeis. XGA, ou Arranjo Gráfico Estendido (do inglês "eXtended Graphics Array"), elevou a resolução máxima para 1024 por 768 pixeis e incrementou consideravelmente o número de cores que o sistema podia exibir. Além deste ponto, os nomes para diferentes modos gráficos geralmente dão descrições numéricas de sua resolução máxima, e placas de vídeo modernas têm a capacidade de exibir muitos modos gráficos diferentes para o uso em jogos, trabalhos gráficos ou outras aplicações.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível