A história dos picles

Escrito por kim kenney | Traduzido por bruno lodo pereira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história dos picles
Picles (pickles image by dinostock from Fotolia.com)

Durante séculos as pessoas têm mantido em conserva os alimentos a fim de preservá-los. Enquanto nossos ancestrais conservavam vários tipos de alimentos, incluindo carne, peixe e frutas, hoje pepino é o alimento em conserva mais comum na América. Eles são ótimos em hambúrgueres, com um sanduíche, em um lanche natural ou até mesmo frito.

Outras pessoas estão lendo

A origem

Os primeiros picles apareceram na Mesopotâmia há mais de quatro mil anos. Eles foram primeiramente cultivados na Índia e os romanos os trouxeram para os países da Europa. Os europeus ficaram fascinados com esse novo e exótico alimento e começaram a experimentá-lo em diversos tipos de receitas.

O nome

A palavra "pikel" apareceu pela primeira vez em inglês em meados de 1400 e originalmente significava um molho apimentado servido com carne. A palavra holandesa "pekel" era uma salmoura usada para preservar os alimentos. Com o tempo, a palavra em inglês assumiu tanto o significado de um molho apimentado como também o de salmoura. A frase holandesa "in de pekel zitten", que é traduzida como "deixar em conserva, com o tempo passou a ser a nossa conhecida expressão "em conserva".

Os tipos

Os picles são mergulhados em salmoura com especiarias e sementes de endro. A planta endro tem origem Mediterrânea, não tão longe de onde picles foram criados. Os picles "kosher" se referem àqueles feitos por fornecedores judeus de Nova Iorque, e não aqueles que tenham sido produzidos sob a supervisão de um rabino, e tradicionalmente contém muito alho. Para os picles poloneses, vindos do norte da Europa, não se usa vinagre e são bem azedados no processo de fermentação.

Figuras famosas

A Cleópatra manteve sua beleza devido ao tanto de picles que ela comia. Napoleão acreditava que eles eram necessários para sustentar suas tropas. E Cristóvão Colombo, na sua viagem através do Oceano Atlântico, deu picles para sua tripulação comer a fim de combater o escorbuto, uma doença que comumente atingia os navegadores em longas viagens.

A venda de picles

No século 19 e começo do século 20, carrinhos vendendo picles eram comuns em Nova Iorque, particularmente no Lower East Side, onde se vendia picles por um centavo. A Heinz usou essa ideia para chamar a atenção para seu estande na Feira Mundial de 1893.

Os picles hoje

Os picles hoje são muito vendidos na América. Nós, por exemplo, comemos aproximadamente quatro quilos de picles por ano, de acordo com o Departamento de Agricultura. A nova mania entre as crianças americanas é mergulhar o picles em algumas bebidas por sete dias para criar um sabor diferente adocicado. Os picles fritos apareceram pela primeira vez em Arkansas em 1963 e agora podem ser encontrado nos EUA em restaurantes e bares, bem como em estandes de vendedores em feiras estaduais e municipais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível