Como que o hormônio resistina está ligado ao Diabetes ?

Escrito por heather robson | Traduzido por max jahnke
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como que o hormônio resistina está ligado ao Diabetes ?
Insulina (Creatas Images/Creatas/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

Resistina e resistência à insulina

A diabetes tipo 2, também conhecida como diabetes do adulto, atinge 8 por cento da população mundial. A maior per capita afetada está em países industrializados com uma dieta ocidentalizada. Pessoas que sofrem de diabetes tipo 2 são resistentes à insulina. Seu corpo usa insulina para absorver a glicose para dentro das células, onde é queimada como energia. Quando você se torna resistente à insulina, seu corpo precisa de um aumento dos níveis desta substância para lidar com a mesma quantidade de glicose no sangue. Eventualmente, a condição degrada-se em níveis cronicamente elevados de glicose no sangue e o diabetes se desenvolve. O hormônio resistina é fundamental para a compreensão de como a resistência à insulina surge em primeiro lugar.

Resistina e obesidade

Os pesquisadores sabem que há uma ligação entre obesidade e diabetes, mas por que a obesidade contribui para o desenvolvimento da resistência à insulina ainda não foi bem explicado. A descoberta do hormônio resistina pode deter respostas para como a diabetes tipo 2 se desenvolve.

Assim como uma pessoa ganha peso, ela armazena mais energia na forma de gordura do corpo e produz um maior número de células de gordura. Estas células gordas, conhecidas como adipócitos, produzem um composto chamado resistina.

Obesidade, diabetes e resistina

A resistina pode ser o elo entre a obesidade e o diabetes. Níveis mais elevados de resistina no sangue parecem aumentar a resistência à insulina do organismo. Nos estudos, os pesquisadores descobriram que a obesidade está associada com níveis mais elevados de resistina no sangue. Eles também descobriram, em estudos com animais, que o tratamento com a resistina em ratos de peso normal provoca resistência à insulina. Estes resultados indicam que a resistina pode ser o que faz com que as pessoas com excesso de peso possam estar em maior risco de desenvolver diabetes do que as pessoas que mantêm um peso normal.

Resistina e terapias medicamentosas

Uma maior compreensão da resistina promete trazer tratamentos mais eficazes para a diabetes tipo 2. Já os cientistas desenvolveram um medicamento para suprimir a criação de resistina em células de adipócitos. Os resultados preliminares mostram que interferir com a produção de resistina torna o organismo mais capaz lidar com a glicose --- um passo importante no processo para o sucesso do tratamento de diabetes.

Atualmente os cientistas estão fazendo pesquisas para compreender melhor a resistina. Enquanto eles sabem que afeta a resistência à insulina e a captação de glicose, eles não estão certos de quais outros papéis que ela desempenha no organismo. Um entendimento mais completo do papel de resistina é importante para que os cientistas possam aperfeiçoar a ação de fármacos relacionados para produzir o melhor resultado com o mínimo de efeitos secundários.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível