Como identificar arritmias cardíacas em crianças

Escrito por ehow contributor | Traduzido por jose airton almeida neto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como identificar arritmias cardíacas em crianças
Identificando arritmias cardíacas em crianças

A arritmia é um distúrbio no ritmo cardíaco. As arritmias em crianças, que incluem mudanças na frequência dos batimentos e sua diminuição, são o sinal de que algo está errado com o sistema elétrico interno regulador do coração do seu filho. Você precisará levar seu filho a um cardiologista pediatra para confirmar o diagnóstico e obter a sugestão de tratamento. Caso identifique os seguintes sinais de arritmia, procure ajuda especializada. Continue lendo o artigo para saber mais.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Preste atenção quando o seu filho mencionar que o coração dele está batendo de forma "engraçada". A maioria das pessoas passam por diminuições ou aumentos de batidas, mas é bom ir ao médico caso pareça alarmante o modo como seu filho mencionou o fato. Uma irregularidade que precisa de cuidados imediatos é a fibrilação atrial, que normalmente inclui a aceleração dos batimentos.

  2. 2

    Fique atento se a frequência do ritmo cardíaco do seu filho estiver mais rápida que o normal para a idade dele. O coração de um recém-nascido pode bater até 140 vezes por minuto; já o de uma criança mais velha bate em uma frequência média de 50 a 100 vezes por minuto. As acelerações prolongadas de batimentos, chamadas de taquicardia, são uma das causas mais comuns de arritmias cardíacas em crianças, podendo ter origem em vários fatores preocupantes. Fique atento no caso de um respiração rápida e fraca, que é um outro sinal de aceleração do ritmo cardíaco.

  3. 3

    Verifique se o seu filho está tendo diminuição no ritmo cardíaco ou bradicardia. Embora não tão comum como a taquicardia, a bradicardia pode provocar uma insuficiência no bombeamento de sangue para o corpo. Mais uma vez, é preciso saber a idade do seu filho para definir uma média de batimentos. A frequência cardíaca de um bebê não deve ser inferior a 80 batidas por minuto.

  4. 4

    Verifique se o seu filho se sente tonto ou fraco sem motivos. Crianças com síndrome do nódulo sinusal às vezes se sentem cansadas e com tonturas. Alguns episódios de taquicardia e bradicardia podem ocorrer com essa patologia, a qual requer tratamento.

  5. 5

    Avise seu médico caso o seu filho tenha sofrido desmaios. Os desmaios podem ser um sinal da síndrome do nódulo sinusal ou da síndrome do QT longo, na qual um eletrocardiograma mostra intervalos prolongados. A síndrome do QT longo pode ser hereditária, mas deve ser diagnosticada por um médico.

  6. 6

    Observe o seu filho brincar. Se ele demonstrar problemas ao correr com as crianças e ficar se sentindo cansando, as paradas cardíacas podem ser a origem disto. Quando os impulsos elétricos do coração não conseguem ser transmitidos das cavidades superiores para as inferiores do coração, o indivíduo sofre uma parada cardíaca. Se a frequência cardíaca diminuir bastante ou os sintomas de desmaios piorarem, um marcapasso deverá ser inserido através de uma cirurgia.

  7. 7

    Agende consultas regulares para o seu filho. Certos tipos de arritmias cardíacas não mostram nenhum sintomas, sendo uma dessas a síndrome Wolff Parkinson-White, a qual consiste em uma anormalidade do percurso entre os átrios e os ventrículos. Alguns medicamentos podem melhorar essa condição, mas a cirurgia é recomendada em certos casos.

Dicas & Advertências

  • Uma arritmia sinusal é normal e ocorre quando a frequência cardíaca acelera um pouco durante a inspiração. A taquicardia sinusal (aumento da frequência) pode acontecer durante febres ou exercícios. Nenhum tratamento é necessário desde que os batimentos voltem ao normal.
  • Tomar superdosagem de medicamentos ou remédios sem prescrição pode piorar as arritmias. Conte ao seu médico sobre todos os medicamentos que a sua criança toma.
  • Cirurgias para sanar problemas do coração podem ocasionar aumento ou diminuição da frequência cardíaca no pós-operatório.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível