Como identificar sinais de síndrome de Down

Escrito por denise stern | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como identificar sinais de síndrome de Down
A síndrome de Down, também conhecida como trissomia do (cromossomo) 21 , é uma das causas mais comuns de defeitos congênitos (George Doyle/Stockbyte/Getty Images)

A síndrome de Down, também conhecida como trissomia do (cromossomo) 21 , é uma das causas mais comuns de defeitos congênitos. Afetando recém-nascidos, a condição uma aparência física anormal, retardo mental e múltiplas condições de saúde. É causada por um cromossomo extra, que ocorre durante o desenvolvimento do óvulo, e os pesquisadores não sabem o que induz a anormalidade. É uma condição genética e os fatores de risco aumentam de acordo com a idade em que a mulher engravida. Não há uma prevenção para a síndrome de Down, ainda que existam exames diagnósticos que dão aos pais uma indicação antes do nascimento. Com um tratamento adequado e cuidados de saúde, os indivíduos afetados por essa síndrome podem levar uma vida feliz e relativamente normal. Aprender a identificar os sinais da síndrome de Down promoverá a compreensão dessa condição e ajudará os pais a enfrentar os desafios, dificuldades e alegrias de educar uma criança afetada por ela.

Nível de dificuldade:
Moderado

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Examine seu bebê ou filho pequeno. Muitos bebês com síndrome de Down não mostram anormalidades ou características reconhecíveis, como olhos grandes, línguas protusas ou crânios pequenos ao nascimento, embora muitos tenham essa aparência. Os traços faciais podem parecer pequenos, o nariz largo, língua grande e boca pequena. Examine os olhos de seu bebê. Muitos bebês com a síndrome de Down têm olhos amendoados.

  2. 2

    Verifique o tônus muscular de seu bebê. Geralmente as crianças afetadas pela síndrome de Down parecem moles ou com articulações frouxas, além da falta de tônus muscular. Isto torna difícil para eles manter a cabeça ereta à medida que crescem, ou causa movimentos descoordenados ao pegar ou segurar objetos.

  3. 3

    Examine as orelhas de seu bebê. Algumas vezes, o formato das orelhas dos bebês com síndrome de Down não é normal. Quando em dúvida, verifique com o seu pediatra, pois pode haver outras razões para tais anomalias.

  4. 4

    Observe as mãos de seu bebê. Em alguns casos, os bebês com a síndrome de Down têm mãos maiores que o normal, e seus dedos pequenos se curvam para dentro. Novamente, só porque seu bebê tem mãos grandes não significa que ele tenha a síndrome. Evite tirar conclusões; procure examinar e observar os sinais e sintomas em conjuntos, em vez de isoladamente.

  5. 5

    Observe a velocidade de crescimento de seu filho. Os bebês com síndrome de Down crescem em ritmo mais lento que seus companheiros, e podem nunca atingir o padrão de altura ou peso normal. Peça ao seu pediatra para fazer mensurações regulares de altura e peso; além disso, peça que observe para detectar sinais de retardo no processo de aprendizagem, como para engatinhar, andar e falar.

Dicas & Advertências

  • Os riscos à saúde são maiores para os bebês, crianças e adultos com síndrome de Down, e são propensos a terem defeitos cardíacos, doença tireóidea e infecções. Bons cuidados e supervisão médica ajudarão a prevenir muitas complicações associadas a essa condição.
  • Em geral a morte pode ocorrer antes dos 40 anos, mas os avanços e melhora nos cuidados médicos e supervisão estão estendendo as vidas dos pacientes com síndrome de Down além desse limiar.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível