Como identificar o transtorno de identidade de gênero

Escrito por curtis fease | Traduzido por luiz neves
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Transtorno de identidade de gênero é a classificação que os psicólogos e médicos dão às pessoas que estão significativamente descontentes com o gênero em que nasceram. Os sintomas podem ser bem óbvios, mas só porque uma pessoa apresenta alguns dos sintomas não significa que ela tem o transtorno de identidade de gênero. Existem alguns critérios específicos que devem ser atingidos. Conhecer os critérios e como identificá-los pode ajudar uma pessoa a identificar o transtorno e tomar medidas proativas a partir daquele ponto.

Nível de dificuldade:
Fácil

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Pessoa que você acredita que possui um transtorno de identidade de gênero

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Verifique identificações de gênero cruzado na pessoa. Essa identificação deve ser forte e persistente. Isso não inclui desejar vantagens culturais de ser um membro do sexo oposto. Veja os passos do 2 ao 6 para verificar a identificação forte e persistente em crianças.

  2. 2

    Preste atenção para ver se a criança repetidamente expressa seu desejo de ser um membro do sexo oposto. A criança pode até chegar ao ponto de insistir que é realmente um membro do sexo oposto.

  3. 3

    Preste atenção às roupas escolhidas pela criança. Os meninos com transtorno de identidade se vestirão como meninas, ou tentarão simular um vestuário feminino. Meninas com a transtorno de gênero insistirão em apenas vestir roupas que são tipicamente estereotipadas como masculinas.

  4. 4

    Fale com a criança, ou preste bastante atenção, às suas fantasias e brincadeiras de faz-de-conta. Crianças com transtornos de identidade de gênero comumente preferirão tomar o papel do gênero oposto ao brincar de faz-de-conta. Eles também fantasiam persistentemente sobre ser um membro do sexo oposto.

  5. 5

    Veja quais jogos a criança escolhe brincar. Crianças com esse transtorno geralmente terão um sério desejo de participar apenar em brincadeiras que são estereotipadas como sendo do sexo oposto. Isso pode incluir meninas querendo jogar futebol ou meninos brincando com bonecas.

  6. 6

    Veja com quais amigos a criança prefere brincar. Normalmente, as crianças com o transtorno escolherão brincar com colegas do sexo oposto. Se uma criança alcança pelo menos quatro desses critérios dos passos 2 ao 6, então a identificação forte e persistente mencionada no passo 1 está presente. Para verificar essa identificação com o sexo oposto em adultos e adolescentes, veja o passo 7.

  7. 7

    Preste atenção ao adulto ou adolescente. Os sintomas deles são normalmente bem óbvios. Nesses grupos de idades, a pessoa normalmente expressará o desejo de ser um membro do sexo oposto, e pode até se passar frequentemente pelo sexo oposto. A pessoa também insistirá comumente que possui as mesmas reações e sentimentos que o sexo oposto, e pode desejar viver dessa forma. Ela pode até pedir que as pessoas a tratem como um membro do sexo oposto. Se o adulto ou adolescente mostra esses sintomas, então a identificação forte com o sexo oposto (mencionada no passo 1) está presente. Lembre-se, esses sintomas não deve ser um paciente meramente buscando as vantagens culturais de ser do sexo oposto.

  8. 8

    Verifique os outros critérios restantes para fazer um diagnóstico. Uma vez que uma identificação forte e persistente com o sexo oposto é verificada (sem meramente querer vantagens culturais), verifique um desconforto com o gênero dele / dela. Esse desconforto deve ser persistente. Eles também se sentem inapropriados seguindo os papéis de seu gênero ou o sexo em que nasceram. Crianças apresentarão esse desconforto rejeitando seu papel de gênero. Meninos irão querer que seu pênis desapareça, e as meninas não irão querer menstruar ou querer que seus seios cresçam. Os adultos e adolescentes mostrarão esses desconforto expressando que nasceram no sexo errado, e podem até tomar passos para se livrar de seus atributos sexuais primários ou secundários.

  9. 9

    Assegure-se de que esses sintomas não estão ocorrendo ao mesmo tempo que uma condição de intersexualidade (após verificar a identificação com outro sexo e o desconforto com o gênero atual). As condições de intersexualidade podem ser causadas por mutações que o paciente nem percebe que estão ocorrendo.

  10. 10

    Verifique se o distúrbio está causando prejuízos sérios ou problemas no trabalho, vida social ou outras funções necessárias da vida da pessoa.

Dicas & Advertências

  • Lembre-se que os passos de 2 a 7 são sintomas de apenas um critério que devem ser atingidos para um diagnóstico. Os passos 1, 8, 9 e 10 são outros quatro critérios que devem ser atingidos.
  • Lembre-se, todos os cinco critérios devem ser atingidos para um diagnóstico.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível