Mais
×

A importância da gramática correta

Todas as línguas têm diversas variantes linguísticas, que são formas diferentes de falar ou escrever dependendo de vários fatores, sendo o principal deles o contexto. Assim, por exemplo, para responder uma prova ou redigir uma ação penal é preciso usar uma linguagem diferente daquela usada para falar com os familiares e amigos. Usar "cê" em vez de "você", embora seja comum entre pessoas que se conhecem, não é aceitável num exame. Desse ponto de vista, não existe variante linguística certa ou errada, mas apropriada ou inapropriada, dependendo do contexto. Para praticar atos como escrever para a imprensa, fazer um concurso ou redigir uma petição, é preciso escrever usando a norma culta da língua, que normalmente equivale às regras da gramática.

É preciso utilizar a norma culta da língua em provas (Zedcor Wholly Owned/PhotoObjects.net/Getty Images)

Norma culta

Como já foi dito, dentro de todas as línguas existem várias formas de falar ou escrever, chamadas de variantes linguísticas. Dentre essas várias formas, uma, em algum momento da evolução da língua, começa a ser usada pelos escritores e pelas pessoas importantes da sociedade. Essa forma é conhecida como "norma culta" ou "norma padrão" e é o modelo para a comunicação na sociedade. Ela reúne regras aceitas pelos membros da comunidade a respeito de como a língua deve ser usada em certos contextos. Ela é também a variante linguística aprendida na escola, utilizada nos documentos do governo e associada aos cargos mais importantes na sociedade. Quando se fala em "gramática correta", é dela que se está falando.

Unidade territorial

Em um país de grandes dimensões como o Brasil, com muitas diferenças culturais e socieconômicas entre as regiões, naturalmente a língua muda, ao longo do tempo, nos diferentes lugares. Assim, um habitante do Rio Grande do Sul não fala exatamente do mesmo jeito que um habitante do Amazonas. No entanto, os moradores desses dois estados aprendem na escola a norma culta, que não é a linguagem utilizada normalmente por nenhum deles. Quando utilizam a língua em contextos formais — um jornal, por exemplo — é ela que eles usam, e não as formas de falar específicas de suas regiões. Desse modo, a norma culta é única para todos os brasileiros, independente da região onde vivem.

A comunidade dos falantes do português

A gramática do português, ou a norma culta, é a variante linguística utilizada sempre que uma pessoa precisa escrever em contextos formais. Em todos os concursos públicos, vestibulares, provas, exames de admissão, é pedido que o candidato tenha domínio correto da gramática. Todos os documentos devem ser escritos de acordo com ela, e a maioria dos livros está escrito conforme ela, assim como os jornais e as revistas. Desse modo, quem não domina a gramática costuma ter dificuldade para alcançar alguns cargos e expressar-se em alguns meios.

Distinção social

A norma culta é a variante linguística ensinada nas escolas, reproduzida pelos livros e utilizada nos documentos oficiais. Normalmente, a escolarização é associada à ocupação de cargos de prestígio na sociedade. Por isso, a utilização correta da gramática também costuma ser ligada a esse prestígio. Assim, não utilizar a gramática de modo correto é um ato muitas vezes percebido pelos outros como sinal de não ter frequentado a escola e portanto de pertencer aos baixos extratos da sociedade.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article