Informações sobre extração de dentes que estão dentro da gengiva

Escrito por jenniferstenger | Traduzido por mariana dsp
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Informações sobre extração de dentes que estão dentro da gengiva
Tabela dentária mostra os números dos dentes (tooth plan image by .shock from Fotolia.com)

Desde a anestesia até o tempo de recuperação, uma cirurgia necessária para corrigir algum problema levanta perguntas e preocupações, e não é diferente com uma extração cirúrgica de um dente excedente. O procedimento pode parecer confuso e intimidador para o paciente, que normalmente conversa sobre as opções com um dentista ou cirurgião bucal.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

De acordo com o Mount Sinai Medical Center Family Guide to Dental Health, dentes excedentes são "dentes extras, além do número normal" que "ocorrem mais comumente entre os dentes permanentes". Essa ocorrência é mais comum com o "Mesiodens", um pequeno incisivo que se forma entre os dois incisivos superiores centrais.

A dentição humana consiste em dois conjuntos de dentes. A dentição decídua, conhecida como os "dentes de leite" consiste em 20 dentes que começam a aparecer quando a pessoa ainda é bebê e começam a cair durante o início da infância, entre os três e oito anos. A dentição permanente consiste em 32 dentes.

Avaliação e diagnóstico

Os dentistas diagnosticam dentes excedentes de diversas formas, sendo que o primeiro é se o dente rompeu a gengiva. Durante a avaliação, o dentista examinará o dente e os tecidos.

Se ele não tiver saído, o dentista pedirá uma radiografia panorâmica, que mostra a arcada inteira. Normalmente, os dentistas usam esses exames para cirurgias ortodônticas e maxilofaciais. Elas mostram o alinhamento dos dentes na mandíbula, a densidade óssea do dente e das estruturas ao redor, as cavidades nasais, o nariz e as estruturas oculares.

Extrações simples

O termo "extração" significa remover uma parte do corpo cirurgicamente. Um profissional da área extrairá um dente usando um fórceps de extração na raiz do dente para retirá-lo de seu lugar. Se o dente ou a raiz estiver muito fundo, a ponto de impossibilitar a extração deste modo, pode ser necessário remover uma parte do osso e quebrar o dente.

As extrações simples são consideradas rotineiras e não complicadas. Nelas, não é necessário usar aparelhos, e o paciente não precisa tomar anestesia geral.

Extrações cirúrgicas

As extrações cirúrgicas servem para retirar os terceiros molares. Essas, que costumam envolver brocas e anestesia geral, são comuns em quadros complicados. É comum que os dentes excedentes precisem desse tipo de extração.

Certos casos podem aparentar ser resolvidos com uma extração simples, e durante o processo, demandarem extrações cirúrgicas. Quando for remover um deles, é fundamental saber a localização exata do dente. Os que nascem no céu da boca ou têm estruturas similares às ósseas requerem extrações complexas. Nessas condições, pode ser necessário consultar-se com um especialista.

Pós-operatório

O dentista agendará uma consulta de acompanhamento uma semana após a cirurgia para verificar a cicatrização e a densidade óssea, responder perguntas, retirar pontos, se necessário, e reavaliar quaisquer preocupações anteriores. Antes de mandar o paciente para casa, ele dará instruções para o pós-operatório. O tempo de cicatrização costuma durar por volta de duas semanas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível