Mais
×

Informações sobre o refluxo equino

Atualizado em 25 maio, 2017

Seu cavalo volta para o estábulo e recusa-se a comer. Seu abdômen está distendido, e o animal parece sentir dor. Os cavalos não são capazes de vomitar, e o diagnóstico veterinário do acúmulo de fluidos no intestino, chamado de refluxo, aponta para uma situação grave que necessita de tratamento imediato.

O refluxo equino é indício de uma doença gastrointestinal séria (horse 8 image by Harvey Hudson from Fotolia.com)

Significância

De acordo com o Manual Merck de Veterinária, o refluxo nasogástrico é indício de doenças gastrointestinais graves em cavalos. Elas incluem cólicas precoces, enterite, doenças do cólon e íleo -- todas elas são moléstias potencialmente fatais.

Causa

O refluxo ocorre quando o intestino do cavalo para de funcionar corretamente e não absorve líquidos. Grandes quantidades de fluidos começam a acumular-se, resultando em inchaços e dores no intestino e, posteriormente, no estômago também.

Sintomas

O cavalo afetado mostra sinais de dor abdominal (rolar, coicear os flancos, levantar-se e deitar-se repetidamente), perda de apetite e de sede, abdômen inchado, depressão e gengivas secas e viscosas. Um refluxo grave pode fazer os fluidos escorrerem pelo nariz e pela boca do animal.

Tratamento

O tratamento do refluxo inclui a inserção de um tubo nasogástrico para aliviar a distensão do estômago e remover fluidos. Os veterinários utilizam grandes quantidades de fluidos intravenosos, antibióticos de amplo espectro, anti-inflamatórios e analgésicos. O cavalo ficará sem se alimentar durante três a cinco dias. Uma cirurgia pode ser necessária para corrigir o problema (cólica por impactação, intestino torcido ou obstrução intestinal) e salvar a vida do animal.

Advertência

O refluxo equino é uma emergência veterinária. Se não for tratado, o estômago e o intestino podem se romper, torcer e decompor-se no abdômen. Além disso, o cavalo afetado pode sentir muita dor.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article