Informações sobre técnicas de cera perdida em coroas dentárias

Escrito por linda donahue | Traduzido por marília sousa
Informações sobre técnicas de cera perdida em coroas dentárias
A mesma técnica antiga de criação é usada até hoje em coroas dentárias (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

A técnica de cera perdida originalmente remonta de tempos antigos e acredita-se que provavelmente teve origem na China ou no Egito. O método foi empregado para criar figuras e objetos em ouro. Então, em 1907, uma máquina de fundição centrífuga foi inventada por William H. Taggart. Embora ele tenha patenteado sua ideia usando a técnica de cera perdida, ele perdeu a patente quando foi descoberto que um outro dentista havia escrito um artigo sobre a mesma ideia cerca de 25 anos antes.

Técnica da cera perdida em coroas dentárias

Antes da moldagem ser feita, as brocas de dentista retiram qualquer apodrecimento dentário e preparam o dente para a coroa. O dentista então tira um molde e envia esse molde para o laboratório. No laboratório, a impressão é usada para fazer um molde do dente em tratamento e dos dentes ao redor. Isto é feito através do preenchimento do molde com um gesso fino chamado pedra dental. O modelo criado do dente exigindo uma coroa é chamado de fieira. Essa matriz é revestida com cera. Esse caroço cera é então esculpido na forma de um dente que irá encaixar entre seus vizinhos.

O canal de entrada (uma pequena haste de cera bulbosa) é anexado à escultura. O sprue é uma extensão da coroa de cera esculpida que vai para baixo em direção a tampa do anel de fundição. O bulbo no buraco funciona como um reservatório de ouro que ajuda a equilibrar a pressão de modo que o ouro líquido flua uniformemente na fundição. A tampa do anel de fundição é posicionada sobre o mesmo. Ele detém o gesso que flui ao redor da fundição.

Depois de colocar o gesso, a tampa do anel de fundição é removida. Isto deixa o canal de entrada protuberante a partir do gesso endurecido. O cilindro é então colocado em um forno. Como a cera derrete, ele deixa um espaço no gesso na forma de cera original e é esculpido de enchimento. Este espaço vazio, feito no gesso, é preenchido com ouro derretido através de uma máquina de fundição centrífuga.

O gesso ainda quente é imerso em água, fazendo com que o gesso se quebre. Tudo o que é deixado para trás é o modelo da coroa de ouro e canal de entrada anexo. O canal de entrada é removido. A fundição de ouro é então polida e cimentada na boca do paciente sobre o dente preparado. Assim, a coroa dental está terminada.