Mais
×

Como interpretar a linguagem corporal em diferentes culturas

Atualizado em 21 novembro, 2016

Você pode pensar que a linguagem corporal é universal, afinal, somos todos da mesma espécie, não é? Entretanto, os conceitos que embasam um cumprimento polido e definições de espaço pessoal variam amplamente entre as culturas. Norte-americanos, por exemplo, são considerados reservados em relação a cumprimentos amigáveis e definem o espaço pessoal de modo mais amplo do que a maioria das demais culturas. Saber os princípios básicos da linguagem corporal de diferentes culturas e como eles se distinguem dos seus pode ser muito útil em sua próxima viagem internacional.

Instruções

Entender como as culturas divergem em termos de linguagem corporal pode ser importante ao se relacionar com estrangeiros (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)
  1. Pense em suas formas de se apresentar e cumprimentar pessoas. Homens e mulheres norte-americanos e canadenses tendem a cumprimentar-se com um bom aperto de mão. Em países asiáticos, a forma educada de cumprimentar é uma reverência que, quanto mais baixa, mais respeitosa é. Na Espanha, em Portugal, na Itália e na Europa Oriental, homens se beijam nos rostos como cumprimento.

  2. Seja cuidadoso a respeito do contato visual. Nos Estados Unidos, um contato visual intermitente não é muito agradável em uma conversação, a não ser que seja com uma pessoa próxima. Em países do Oriente Médio, contato visual prolongado é normal, e a pessoa com quem se conversa pode chegar bem próximo a fim de mantê-lo. Os japoneses, por outro lado, consideram o contato visual uma invasão de privacidade, raramente fitando pessoas nos olhos.

  3. Norte-americanos em geral sorriem quando cumprimentam ou conhecem alguém. Coreanos, no entanto, creem que é rude sorrir em público. Para eles, sorrir em público é um sinal de constrangimento.

  4. Não aponte. A maioria dos americanos não se importa de apontar para um objeto ou uma pessoa, mas ameríndios acreditam ser profundamente ofensivo apontar com os dedos, usando normalmente os queixos para essa finalidade. Apontar com os dedos também é considerado rude na China, onde é preferível apontar com a mão aberta, com a palma virada para cima.

  5. Dê às pessoas espaço. Em culturas asiáticas, particularmente na China, o conceito de espaço pessoal (geralmente definido nos Estados Unidos como um círculo de 1,5 m entre conhecidos e colegas de trabalho) é praticamente inexistente. Estranhos comumente se tocam enquanto esperam na fila para, por exemplo, ingressos do cinema. Pessoas em países escandinavos, por outro lado, precisam de mais espaço pessoal do que nós.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article