Lei e cultura japonesa na herança com o filho mais velho

Escrito por william norman | Traduzido por rodrigo bittencourt
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Costumes de herança japonesa usam um sistema patriarcal antigo chamado primogenitura, a passagem das posses de um pai para o filho mais velho. O Sistema de Registro da Família Japonesa fornece a prova legal suficiente do herdeiro correto.

Outras pessoas estão lendo

Costumes tradicionais

A tradição japonesa pede que o filho mais velho de uma família receba todos os bens da família. Filhas geralmente casam-se com outras famílias, enquanto irmãos mais novos buscam a sua própria fortuna ou casam-se com famílias que carecem de um herdeiro do sexo masculino, de acordo com a Universidade de Columbia. O governo toma um imposto sobre a herança variando de 10 a 50 por cento após as despesas do funeral, de acordo com a Global Property Guide.

Implicações legais

O Global Property Guide observa que a maioria dos cidadãos japoneses não escrevem testamentos, contando com o Código Civil Japonês para defender as regras da primogenitura. O Sistema de Registro da Família Japonesa fornece uma documentação detalhada sobre todas as relações familiares, indicando o herdeiro apropriado para a maioria das situações de herança.

Excessões

Estrangeiros que se casam com um membro de uma família japonesa não podem tirar proveito do Sistema de Registro da Família para mostrar a prova de herdeiros, de acordo com a Global Property Guide e a lei japonesa reconhece as leis de herança do país de origem do estrangeiro. Nestes casos, um testamento ajuda a esclarecer a administração dos bens do estrangeiro.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível