on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Onde levar um estrangeiro para passear em São Paulo

Marcio Silva/iStock/Getty Images

Introdução

Com o crescente aumento no fluxo de visitantes estrangeiros, São Paulo passou a se preocupar mais com o turismo. A cada ano, novas opções de lazer e cultura são aprimorados para receber pessoas do mundo todo. Alguns locais, porém, são emblemáticos e obrigatórios, por mostrarem com exatidão como é a cidade e seus habitantes. Se você for receber um amigo ou mesmo um colega de trabalho estrangeiro, siga alguns destinos básicos para um roteiro bem interessante pela capital paulista.

Carlos Alkmin / Getty Images

Avenida Paulista e região

É impossível estar em São Paulo e não escolher a região da Paulista como ponto obrigatório de visita. A avenida abriga alguns dos principais centros culturais da cidade, como o Sesc, Casa das Rosas e o Masp (Museu de Arte de São Paulo), além de livrarias e lojas diversas. Aos domingos, são realizadas as feiras de antiguidade e artesanato. A rua Oscar Freire é a meca da alta moda, com lojas de marcas consagradas como Diesel, Forum e H.Stern. A rua Augusta concentra cinemas especializados em filmes de arte ou alternativos, como o Espaço Itaú e o Cinesesc, e à noite se transforma no mais intenso e democrático espaço boêmio do Brasil, onde as mais variadas tribos se misturam.

lickr: eduardomineo | Attribution 2.0 Generic (CC BY 2.0)

Bixiga

O bairro do Bixiga, na região central da cidade, é um dos mais importantes redutos gastronômicos da capital. Local onde vive boa parte da colônia italiana, concentra um grande número de cantinas e tratorias. E em cada estabelecimento, é possível se fartar de massas e pratos típicos da terra da bota. Típica também é a música, executada em grande parte dos estabelecimentos. Em alguns deles, competentes músicos fazem a recepção dos clientes, mas em outros é o próprio dono que mostra seus dotes de cantor, relembrando os velhos e bons tempos em terras italianas. Tradicional reduto católico, o bairro abriga a Igreja de Nossa Senhora Achiropita, que organiza uma famosa festa entre os meses de agosto e setembro, reunindo mais de 200 mil pessoas todo ano.

Flickr: Felipe Neves | Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.0 Generic (CC BY-NC-ND 2.0)

Vila Madalena

Um dos mais conhecidos redutos boêmios da cidade, a Vila Madalena é repleta de bares, lanchonetes e restaurantes, além de casas noturnas, que recebem um público diversificado, especialmente jovens descolados. Uma das atrações mais interessantes ocorre nas tardes de sábado, na praça Benedito Calixto: a feira de antiguidades. Ali é possível encontrar velhos discos de vinil, objetos preciosos e muitas curiosidades. A praça de alimentação funciona ao som dos cantores de chorinho que dão um ar todo especial ao local. O bairro é conhecido internacionalmente por expor grafites em várias ruas e vielas, como o Beco do Batman.

Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images

Samba da Vela

Embora o samba esteja associado ao Rio de Janeiro, São Paulo não tem nada a dever à Cidade Maravilhosa e possui opções para que o turista possa conhecer o principal cartão de visitas musical do Brasil. O Samba da Vela é um projeto interessantíssimo criado em 2000 no bairro de Santo Amaro, na zona sul da cidade. A música começa a rolar solta quando uma vela é acesa e somente quando ela se apaga os músicos encerram as apresentações. O evento acontece toda segunda-feira à noite, na Casa de Cultura Santo Amaro, reunindo nomes importantes do samba, preocupados em preservar as melhores tradições do gênero. A entrada é franca.

Rick Gerharter / Getty Images

Mercado Municipal

Projetado pelo escritório do renomado arquiteto Ramos de Azevedo e construído em 1933, o Mercado Municipal está encravado na região central de São Paulo e é um convite a um verdadeiro festival gastronômico, promovido por frutas, temperos e laticínios de toda ordem. Os empórios ajudam a tornar ainda mais agradável os aromas do local. Uma das principais atrações é o típico sanduíche de mortadela, delicioso e altamente recomendado, assim como os pastéis e bolinhos de bacalhau, encontrados em vários pontos do mercado. O mezanino, construído em 2004, tornou o local ainda mais charmoso.

Juan Silva / Getty Images

Theatro Municipal

Inspirado na Ópera de Paris, o prédio do Theatro Municipal é outro dos projetos de Ramos de Azevedo que continua enfeitando a cidade. Inaugurado em 1911, combina os estilos Renascentista, Barroco e Art Nouveau. Sediou apresentações antológicas de óperas e números de dança e teatro, além de ter sido o palco da Semana de Arte Moderna de 1922, o marco inicial do Modernismo no Brasil. Abriga atualmente a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Experimental de Repertório, Coral Lírico, o Coral Paulistano e o Ballet da cidade de São Paulo.

Getty Images/Getty Images Sport/Getty Images

Estádio do Pacaembu

Vir para o Brasil e não assistir um jogo de futebol certamente é como ir a Roma e não visitar o Coliseu. O Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, mais conhecido como Pacaembu, é a mais charmosa e confortável arena esportiva da cidade. Inaugurado nos anos 40, já sediou partidas da Copa do Mundo de 1950 e hoje tem capacidade para reunir confortavelmente 37 mil pessoas. O estádio recebe frequentemente jogos do Palmeiras, Corinthians e São Paulo. Em dias em que não há partidas agendadas, é possível visitar o moderno Museu do Futebol, que fica nas dependências do Pacaembu e pode ser visitado de terça a domingo.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Jardim Botânico

O Jardim Botânico de São Paulo não é tão conhecido quanto o seu similar do Rio de Janeiro e é bem menos popular que o Parque do Ibirapuera. No entanto, é um dos espaços mais belos da cidade. Localizado na zona sul, o local tem 360 mil metros quadrados e é composto por uma série de bosques, jardins, trilhas e lagos, além do Museu Botânico Dr. João Barbosa Rodrigues, um orquidário e uma série de esculturas. O Jardim Botânico integra o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, que conserva vegetação remanescente de Mata Atlântica e animais silvestres, como os macacos bugios, além de muitas aves.

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

Praça Roosevelt

Localizada na região central de São Paulo, a praça Roosevelt sempre esteve ligada à arte e à cultura. Nos anos 60, era o ponto de encontro dos músicos da Bossa Nova quando estes visitavam a capital paulista. Atualmente, se tornou o centro nervoso do teatro paulistano. Várias companhias de teatro se instalaram no local, abrindo espaço para uma renovação cultural. Muitos bares e pequenos estabelecimentos fazem companhia aos espaços de dramaturgia. Atores, escritores, músicos e artistas em geral podem ser encontrados facilmente por lá. O local passou por uma remodelação em 2012 e ficou ainda mais charmoso.

Paulo Fridman / Getty Images

Parque do Ibirapuera

Aos finais de semana, ele fica lotado. Mesmo assim, é difícil evitá-lo. Área de lazer por excelência do paulistano, conta com ciclovias, quadras poliesportivas e áreas para caminhada e descanso. O Ibirapuera é também o principal ponto para shows gratuitos e ao ar livre da cidade. De quebra, ainda sedia equipamentos culturais, como o Museu de Arte Contemporânea e o Museu Afro Brasil, além do Pavilhão da Bienal. À frente do parque, se destacam duas imponentes obras: o Obelisco, em homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932, e o Monumento às Bandeiras, conhecido pelo pitoresco apelido de “Deixa-que-eu-empurro”.

Flickr: CulturaGovBr | Attribution 2.0 Generic (CC BY 2.0)

Centro de Tradições Nordestinas

Que tal levar o seu amigo estrangeiro para conhecer a fundo os aspectos culturais de uma importante região do país? A experiência pode ser realizada no Centro de Tradições Nordestinas, localizado na zona norte da cidade. Lojas de artesanato, restaurantes com pratos típicos e shows de forró são os programas mais procurados. É possível conhecer os hábitos e também a história do povo nordestino. Há monumentos a personagens importantes, como o cangaceiro Lampião, Zumbi dos Palmares e o músico Luiz Gonzaga. O CTN possui um pequeno parque de diversões, brinquedoteca e berçário, além de uma igreja com capacidade para 400 pessoas, adornado por uma imagem do Padre Cícero, ícone religioso do Nordeste.

Flickr: Anderson Mancini | Attribution 2.0 Generic (CC BY 2.0)

Pico do Jaraguá

Ponto culminante da região metropolitana de São Paulo, o Pico do Jaraguá é de fácil acesso e faz parte de um importante parque estadual, com 5.000 hectares de área e coberto com mata atlântica. Trilhas levam o visitante a um belíssimo mirante, de onde é possível enxergar toda a capital paulista. Para quem dispensa a caminhada, é possível chegar de carro por uma estrada. O parque conta com churrasqueiras, quadras poliesportivas, playgrounds e lanchonete, além de albergue e um anfiteatro.

Flavio Coelho / Getty Images

Bairro da Liberdade

Localizado no centro de São Paulo, o bairro da Liberdade é um pedaço do Japão na capital paulista. Os imigrantes começaram a se instalar no início do século XX, deixando marcas profundas na região. Lojas, bares e restaurantes típicos são encontrados facilmente no bairro. A decoração também evoca a forte presença nipônica, com vários torii (portais) e lanternas orientais, além de um pequeno jardim, o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil e templos budistas e xintoístas. Todos os domingos ocorre a tradicional Feirinha da Liberdade, com artesanato e gastronomia orientais. As grandes festas do calendário japonês também ocorrem periodicamente no bairro.