Como lidar com birras em crianças autistas

Escrito por dwight benignus | Traduzido por ana rodrigues
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como lidar com birras em crianças autistas
Durante a birra, crianças autistas não se importam com as reações alheias (Thomas Northcut/Photodisc/Getty Images)

O autismo é uma condição permanente que afeta uma em cada cento e cinquenta crianças em todo o país. Crianças com autismo têm, muitas vezes, dificuldades com habilidades sociais, com o entendimento das emoções de outras pessoas, dificuldades na empatia com os outros e com capacidades comunicativas. Elas podem ter uma fixação por objetos. As crianças autistas frequentemente têm birras, mesmo mais tarde, na adolescência. Durante uma pirraça, a criança autista não se importa em como aqueles ao seu redor estão reagindo ao seu comportamento. Estar preparado para lidar com a birra de uma criança autista em público pode ajudar a acalmar a situação.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

Instruções

    Causas de birras autistas

  1. 1

    Tome cuidado com as necessidades da criança. As crianças autistas, muitas vezes, têm acessos de raiva por causa da frustração com a incapacidade de comunicar suas necessidades. Estar com fome ou cansada pode desempenhar um papel importante no humor da criança e, se essas necessidades são atendidas, ela vai estar muito menos irritada e mais propensas a cooperar.

  2. 2

    Evite uma quebra da rotina. As crianças autistas têm uma fixação por rotinas e, se ela for quebrada, a criança pode ficar muito chateada e fazer birra. Embora nem sempre seja possível manter uma rotina como ritualisticamente uma criança autista deseja, mantenha o cronograma tão consistente quanto possível.

  3. 3

    Esteja ciente do ambiente. As crianças autistas são, muitas vezes, sensíveis à aborrecimentos ou super estimulações causadas por ruídos altos e persistentes e por sensações adversas, como uma etiqueta de camisa que cause coceira. Se seu filho está cobrindo os olhos ou ouvidos, isso indica que ele pode estar sofrendo de sobrecarga sensorial. Esteja ciente de pistas no ambiente que desencadearam a sua birra; quando a criança as encontrar, desloque-a para um ambiente calmo e reconfortante.

  4. 4

    Resolva suas batalhas. Uma criança com autismo não pode controlar suas emoções uma vez que a birra atinge um certo nível. Mantenha um registro de birras do seu filho e observe possíveis padrões que podem levá-las a acontecer. Reconheça os sinais e os gatilhos de um colapso e desarme-os antes que aconteçam.

    Lidando com uma birra

  1. 1

    Seja cuidadoso. A segurança da criança e de outros ao redor dele vem em primeiro lugar. Remova qualquer coisa do ambiente que possa ser perigosa para a criança autista se sua birra ficar fora de controle. Contenção física pode ser necessária nesses casos.

  2. 2

    Mantenha a calma. Ordene seu filho a cumprir o seu pedido de se acalmar com firmeza, mas seja simples e direto. Não seja muito complicado no raciocínio com a criança autista. Repita a sua ordem até que a criança se acalme. Não fique com raiva ou emotivo, uma vez que isso só vai piorar as coisas.

  3. 3

    Ignore a birra. Se a birra é sobre algo irracional, condicione a criança a saber que ela não pode ter sempre o que quer iniciando uma birra. A birra é um jogo de poder para a criança conseguir o que quer quando ela é incapaz de comunicar esse desejo. Condicione a criança a aceitar suas circunstâncias, aprendendo a lidar com a situação até que o fim. Nesse meio tempo, mude a criança de lugar até que ela se acalme.

  4. 4

    Distraia sua criança da pirraça. Tenha quebra-cabeças ou um brinquedo especial pronto para usar sempre que a criança tiver um chilique.

  5. 5

    Considere a reação dos outros. Seu filho pode gritar e berrar em um colapso completo. Aprender a lidar com as reações de terceiros com calma e não ceder ao seu filho é é uma necessidade. Os outros podem olhar, fazer comentários e pensar em você como um pai ruim. Resista à tentação de reagir a essas pessoas. Se alguém fizer observações, mencione que o seu filho é uma criança com necessidades especiais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível