on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Como lidar com o ciúme entre irmãos

Getty images

Introdução

Criar filhos não é das tarefas mais fáceis e quando se tem mais de um, como a maior parte das famílias, o desafio se torna ainda maior. Isso por que há um agravante: o ciúme entre eles. Um sentimento muito natural e compreensivo, afinal quando se tem apenas um filho, pais e mães vivem para ele e a atenção direcionada é exclusiva. Depois, com a chegada de um novo membro à família, a situação muda de figura. Para que os pais não se desesperem e os pequenos não sofram com esse sentimento ruim, aí vão algumas dicas para acabar contornar o ciúme entre irmãos.

Comstock Images/Comstock/Getty Images

Converse antes da chegada do irmãozinho

As crianças, sobretudo as menores, não sabem claramente o que há dentro da barriga da mamãe que, de repente, papai passou a beijar, mamãe acaricia e todos ao redor olham e dão atenção. Por isso, conversar com o mais velho sobre a chegada de um irmão, explicando que o que tem dentro da barriga é um ser igual a ele, é uma excelente forma de transformar a ideia em algo concreto. Durante a gestação, também vale mostrar imagens de bebês no ventre materno e indicar bebês novinhos no colo de mães na rua, exemplificando que em breve um daqueles chegará à família.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Participação na gestação

Para que o filho mais velho se sinta parte da família que está prestes a aumentar, faça-o realmente se sentir importante e participativo. Quando possível, leve-o às consultas com o obstetra, deixe-o escutar o coraçãozinho do bebê e ver as imagens nos exames de ultrassonografia, coloque a mãozinha dele na barriga quando o feto mexer, entre outras coisas. Peça a ajuda dele para fazer a mamãe relaxar, passando um hidratante nas pernas, por exemplo, ou pegando um copo d'água, no caso dos maiorzinhos. Inserir a criança no novo contexto a fará se sentir especial e amada, diminuindo a distância entre o filho de fora e o de dentro da barriga.

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Companhia na maternidade

Visualize a cena: de repente, papai e mamãe pegam uma mala, felizes ou então apressados e ansiosos, dão um beijo no filho maior e saem. O filho mais velho fica em casa, normalmente com uma das vovós, sem saber pra onde mamãe e papai foram com tanta expectativa e alegria. Fato é que ele não pode ir junto. Um dia depois, ele visita ambos e, quando chega onde estão, tem um intruso no colo da mãe e todos em volta babam naquela criatura. Há uma nova cena familiar em que o filho mais velho simplesmente não está inserido. É claro que levar a criança para a maternidade na hora do nascimento do irmão não é das tarefas mais fáceis e talvez muitos hospitais nem permitam a entrada dos pequenos, mas inserir os irmãos neste momento é muito importante para que eles não se sintam deixados de lado. Uma boa opção é colocar a criança no carro para que ela acompanhe a mãe até a maternidade, para saber onde ela está indo. Se possível, deixar com que ele fique no quarto junto com papai e mamãe, enquanto o caçula não tem alta, participando desde a chegada do menor, é maravilhoso.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Participação nas tarefas com o bebê

Então, agora papai e mamãe ficam quase que exclusivamente dando atenção a outra pessoa e não mais ao filho mais velho. Normalmente, é nessa hora que o ciúme aperta. Uma saída para driblar esse sentimento é recorrer ao primogênito como um ajudante, fazendo com que ele participe, inserindo-o nas tarefas diárias de cuidado com o bebê. Quando for trocar a fralda, peça para ele pegar o pacote. Na hora do banho, conte com a ajuda dele no banheiro para lhe passar o sabonete. Quando for amamentar, diga a ele para se sentar do lado e massagear a mão da mamãe. Criança que é inserida no contexto familiar se sente querida e útil. O pensamento dela é: "eu sou importante".

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Compartilhe para unir

Não há por que separar os irmãos em situações que podem ser compartilhadas. Juntar os dois, ou mais, na hora da alimentação e do banho, por exemplo, é uma excelente forma de integrar ambos e de mostrar que a atenção e o amor aos dois é a mesma. Além de ser muito bom para acalmar o coraçãozinho do filho enciumado, ainda facilita o dia a dia dos pais, que aproveitam o mesmo momento para todos os filhos.

PhotoObjects.net/PhotoObjects.net/Getty Images

Cultive momentos de individualidade

Embora unir as crianças em situações comuns, como a alimentação e o banho, seja muito bom, os pais devem atentar para oferecer a cada filho momentos únicos e de atenção exclusiva. Para o mais velho, vale ler um conto de fada antes de dormir, no momento que o outro irmão está com o pai, por exemplo. Com o menor, na hora da soneca do primeiro, a mãe pode brincar junto, fazendo sua brincadeira preferida. É importante oferecer a eles situações de individualidade, fortalecendo o vínculo com cada um e mostrando que sempre terão direito à atenção exclusiva de mamãe e papai.

Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images

Elogie qualidades individuais

Muito comum que irmãos tenham características diferentes dos outros, como todos nós, afinal. O que em um chama mais atenção pode ser apagado no outro e vice-versa. Quando elogiarem o lindo olho azul de um, saliente a beleza dos cachos do cabelo de outro. Potencialize em cada um deles suas melhores características, sejam físicas ou emocionais. Deixar claro, quantas vezes forem necessárias, que cada um é especial de seu jeito é uma forma de fazer os filhos se sentirem amados e se aceitarem como são, sem nutrir de forma exagerada o ciúme pelo bom que o irmão tem e ele não.

Jupiterimages/Creatas/Getty Images

Não faça comparações

"Seu irmão não faz birra como você". "Olha, sua irmã comeu tudo e você não". Quem nunca ouviu, sequer uma vez, essas frases de algum membro da família? Essa é uma das piores ciladas para estimular o ciúme e a competição entre irmãos. Não comparar nunca é quase uma ordem! Isso porque cada pessoa tem sua personalidade diferente, com defeitos e qualidades individuais. Um come melhor, mas outro dorme melhor, e assim como tantas outras características. A forma mais benéfica é sempre estimular os bons comportamentos e incentivar a melhora nos negativos, sem comparações.

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Não "se esqueça" do mais quieto

Nem sempre o filho mais quieto, que não demanda tanta atenção, que não chora por qualquer motivo ou que não faz birra não precisa de cuidados. Não é pelo fato dele ter uma personalidade mais reservada que isso o isente de carinhos e dedicação. Fique atenta e demonstre afeto, afinal ele também precisa muito de você.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Reforce a importância da amizade

É mais que natural que ocorram uns arranca-rabos entre irmãos. Estranho seria se não existissem! Entretanto, é papel dos pais incentivar a boa relação entre os filhos, salientando que o irmão pode e deve ser o melhor amigo, o companheiro, aquela pessoa que está ao lado em quase 100% do tempo. Reafirmar isso sempre que possível é fundamental para que eles enxerguem o irmão como um parceiro e não se sintam tão ameaçados quando o ciúme bater.

Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images

Não demonstre preferência

A forma com que gostamos de cada filho tem mais a ver com afinidades do que com quantidade de amor. Afinal, amor não é coisa para ser medida. O que se gosta em um pode não existir no outro e assim por diante. O cuidado nisso é não dar preferência a um filho por conta de uma maior afinidade com você. É bom sempre lembrar que cada um tem pontos bons e outros a melhorar. Elogiar as características positivas de cada um deles, sem dar preferência para ninguém, é o melhor caminho.

Comstock/Comstock/Getty Images

Incentive a admiração

Uma das maneiras mais eficazes para minimizar a competição e a agressividade entre os seres humanos é mostrando os pontos positivos do outro e gerando a admiração. Quando admiramos alguém, passamos a respeitá-lo e a enxergá-lo como um parceiro, com quem podemos aprender. Cabe a pais e mães incentivar a admiração entre os irmãos, mostrando diariamente que podem ser para sempre melhores amigos.