Como lidar com a síndrome de interrupção do escitalopram

Escrito por collin fitzsimmons | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como lidar com a síndrome de interrupção do escitalopram
Drogas como o Lexapro bloqueiam a recaptação do neurotransmissor serotonina (pills image by Alyona Burchette from Fotolia.com)

O escitalopram, mais conhecido por seus nomes comerciais Lexapro e Cipralex, é um antidepressivo da classe dos ISRSs (inibidores seletivos da recaptação da serotonina). Drogas como o Lexapro bloqueiam a recaptação do neurotransmissor serotonina. O Lexapro é aprovado pela U.S. Food and Drug Administration para o tratamento do transtorno depressivo maior e do transtorno de ansiedade generalizada. Também é utilizado em casos de fobia social, síndrome do pânico e TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). A interrupção do tratamento pode trazer efeitos colaterais desagradáveis, mas o uso de algumas técnicas pode ajudar a reduzir os sintomas de abstinência.

Outras pessoas estão lendo

Síndrome de Interrupção dos ISRSs

Após cerca de quatro semanas de uso de um ISRS como o Lexapro, o organismo humano se acostuma aos níveis elevados de serotonina. Portanto, a interrupção do tratamento após uso da droga por período superior a um mês só deve ser feita com recomendação médica. Com a descontinuação ou interrupção do medicamento ou até mesmo diminuição da dosagem, sintomas de abstinência podem surgir após um período de 1 a 7 dias, dependendo da meia-vida da droga (a meia-vida do Lexapro, por exemplo, é de aproximadamente 27 a 32 horas). A intensidade e duração da crise de abstinência varia entre os indivíduos: alguns pacientes sentem apenas desconforto e sintomas leves, tipicamente por um período entre uma semana ou várias, enquanto outros experienciam sintomas angustiantes, que podem durar meses.

Sintomas de abstinência e como tratá-los

A descontinuação do Lexapro causa sintomas físicos e psicológicos. Fisicamente, pacientes relatam problemas de equilíbrio, diarreia, fadiga, dores de cabeça, tremores, náusea e problemas gastrointestinais (algumas vezes semelhantes aos causados por uma gripe) e dificuldades para dormir. Psicologicamente, é comum que os pacientes relatem ansiedade, agitação, vontade de chorar, irritabilidade e agressividade. Os sintomas causados pela interrupção do uso de ISRSs devem ser tratados conforme aparecerem, oferecendo alívio ao paciente durante o processo de descontinuação do medicamento. (Tome ibuprofeno para dor de cabeça, anti ácido para acidez estomacal etc). Todavia, alguns dos sintomas da abstinência de ISRSs não são tratáveis, como as parestesias, casos em que o paciente tem sensações estranhas de tontura, sudorese, vertigem ou a sensação de o cérebro estar tremendo. Algumas pessoas descreveram esse último sintoma como a sensação de luzes estroboscópicas estarem pulsando dentro de seus cérebros.

Redução da dose

Médicos utilizam técnicas de redução da dosagem, para ajudarem seus pacientes a abandonarem o Lexapro e outros ISRSs. Um método comum é reduzir gradualmente a dosagem ao longo de meses ou semanas, o que pode ser feito através da quebra dos comprimidos em doses menores. Dependendo da gravidade dos sintomas de abstinência, o médico decide como proceder com a retirada do ISRS. Na maioria dos casos, a interrupção é um processo rápido, todavia, se os sintomas de abstinência forem graves o médico pode optar por recomendar que o paciente volte a usar o medicamento. Outra técnica é trocar o Lexapro por outro ISRS, como a fluoxetina, que tem meia-vida mais longa e portanto, fica mais tempo no organismo, ajudando a reduzir os sintomas de abstinência.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível