Mais
×

Lista das cinco leis de Darwin da teoria da evolução por seleção natural

Atualizado em 20 julho, 2017

Em 1859, Charles Darwin publicou "A origem das espécies", um livro descrevendo sua teoria da evolução pela seleção natural. Hoje em dia, a maioria das pessoas conhece as ideias de Darwin mais por conta dos trabalhos de muitos de seus seguidores e intérpretes dos séculos 20 e 21 do que através de seus próprios trabalhos. Um de seus seguidores, Ernst Mayr, resumiu o que considerou os fundamentos da teoria de Darwin em cinco pontos simples, ou "leis".

O livro de Darwin "A origem das espécies" gerou elogios e controvérsia após sua publicação, em 1859 (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Evolução

A evolução é um processo contínuo que se prolonga até os dias atuais, mesmo para os seres humanos. Isso opõe-se à concepção ocidental de espécies como fixas e incapazes de alterações, o que remete à Grécia Antiga. Isso não quer dizer que os seres humanos mudarão para outro tipo de mamífero amanhã, ou nos próximos seis meses. O processo, embora contínuo, também é extraordinariamente lento, segundo a maioria das medidas de padrão humano.

Descendência

Todos os seres humanos, animais, plantas, fungos e outros organismos compartilham uma origem em comum. Caso os cientistas tivessem o poder e a compreensão para traçar a descendência da vida na Terra o mais remotamente possível, descobririam que a vida se originou em uma única forma, há bilhões de anos atrás. Mayr sugere que esse conhecimento permite-lhe responder à famosa pergunta sobre o ovo e a galinha: O ovo veio primeiro, ele sugere, mas uma galinha não o botou.

Ramificando

Ao longo de bilhões de anos, a simples forma hipotética da vida ramificou-se, evoluindo para dezenas de milhões de formas de vida através do processo de seleção natural. Isso ocorreu principalmente por dois motivos: primeiro porque, à medida em que a vida começou a surgir em diferentes partes do globo, adaptou-se às áreas onde se encontrava, tentando sobreviver; e segundo porque, quando ocorre a reprodução, ela ocorre de forma imperfeita, o que significa que a prole não consegue assemelhar-se perfeitamente aos seus pais.

Cronologia

A evolução ocorre através da mudança em populações totais, ao invés de espontaneamente através da criação de proles individuais radicalmente diferentes. Caso você e sua família se mudem da Bahia para o Rio Grande do Sul e se estabeleçam lá, seus netos não desenvolverão pelos no corpo mais grossos simplesmente porque lá é uma região mais fria. Isso ocorre porque a evolução acontece muito lentamente, a partir de uma perspectiva humana. Para os seres humanos, 1.000 anos, muito menos que 10.000 ou 100.000 anos, constituem um período muito longo, embora geologicamente falando, até mesmo um milhão de anos não equivalha a um período muito longo de tempo.

Seleção

O princípio mais importante da evolução darwiniana é o próprio conceito de seleção natural. Reduzido a seus princípios mais básicos, a seleção natural é simplesmente a ideia de que várias gerações compreendem uma espécie e os indivíduos dentro dessas gerações são diferentes, não apenas de seus antecessores, mas um do outro. As crianças se parecem com seus pais, mas não são idênticas a eles. Sua composição genética é uma mistura da de seus pais, algumas misturas mais bem sucedidas do que outras, dando aos indivíduos uma melhor chance de sobrevivência. Esses indivíduos bem adaptados, por sua vez, reproduzem, enquanto os menos hábeis não o fazem, ou se o fazem, fazem em menor quantidade. As novas gerações da espécie, portanto, representam os exemplos de espécies que foram "naturalmente selecionadas" para terem sucesso.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article