Como manter níveis ideais de ácido clorídrico no estômago

Escrito por james clark | Traduzido por lucas olivera
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como manter níveis ideais de ácido clorídrico no estômago
Mudanças na dieta podem ser suficientes para manter níveis ideais de ácido clorídrico (Graphic Illustration by WickedReport.com)

O nível apropriado de ácido clorídrico no estômago ajuda a destruir as bactérias encontradas nos alimentos. Uma baixa concentração de HCl pode levar a uma condição conhecida como hipocloridria (falta de ácido no suco gástrico). Isso é prevalente em idosos porque a produção de HCl diminui à medida que envelhecemos. O HCl esteriliza o estômago, permitindo também que o corpo absorva os nutrientes dos alimentos.

Além disso, o HCl é responsável pela conversão do pepsinogênio em sua conformação ativa, criando uma enzima que digere as proteínas para que o corpo possa absorvê-las mais facilmente.

Quando os níveis de ácido no estômago estão muito baixos, o organismo não consegue digerir os alimentos ou matar bactérias. A condição pode diminuir a capacidade do corpo de absorver vitaminas, minerais e aminoácidos, levando a sérias deficiências nutricionais e a doenças autoimunes

Aprenda a manter níveis ideais de ácido clorídrico seguindo as instruções abaixo.

Nível de dificuldade:
Fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Faça mudanças simples na dieta para melhorar os níveis de ácido do estômago. Coma salmão, atum, abacate e castanhas (mas não amendoim) para elevar os níveis de ômega 3, um ácido graxo essencial. Aumente a sua ingestão de fibras consumindo cereais. Beba ao menos oito copos de água filtrada por dia. Coma alho cru esmagado para consumir alicina, um composto antimicrobiano que combate bactérias. Se você não for intolerante à lactose, consuma iogurte simples não pasteurizados com culturas ativas.

    Alguns alimentos e bebidas devem ser evitados. Bebidas alcoólicas, por exemplo, podem causar refluxo ácido. Evite gorduras trans (hidrogenadas ou óleos parcialmente hidrogenados), como as muitas vezes utilizadas em fast-foods. Evite açúcares refinados e adoçantes artificiais, pois o açúcar estimula o crescimento de bactérias. Tomate, berinjela, batata e pimenta podem causar indigestão e azia e podem piorar a artrite. Elimine todos os carboidratos simples ou refinados como pão branco, massas, biscoitos e bolachas. Evite trigo e proteína de trigo (glúten), além de amendoim. Peixes e mariscos são conhecidos por abrigar níveis elevados de mercúrio, por isso, evite peixe-cavala, atum de barbatana amarela, espadarte, lagosta, mariscos e ostras . Além disso, peixes criados em fazendas podem conter altos níveis de PCBs (bifenilos policlorados). Café, chás, refrigerantes e outras bebidas com cafeína podem causar insônia e prisão de ventre e ainda interferir no funcionamento do sistema digestivo. Evite o nitrito de sódio contido em alimentos como bacon e salsicha, assim como alimentos que contêm MSG (glutamato monossódico).

  2. 2

    Mude seus hábitos alimentares. Em vez de três grandes refeições diárias, faça pequenas refeições consumidas ao longo do dia. Não se deite imediatamente após comer. Em vez disso, sente-se uma hora depois de comer para melhorar a digestão. Evite excessos. Estudos mostram que uma dieta mais rica em carboidratos do que em alimentos gordurosos pode desencadear um desequilíbrio do conteúdo ácido estomacal. Não beba água gelada, a qual inibe a produção de ácido gástrico.

  3. 3

    Cápsulas de cloridrato de betaína com pepsina ajudam a hidrolisar as proteínas, facilitando a digestão dos alimentos. Consulte o seu médico, pois suplementos de cloridrato de betaína podem causar reações adversas quando administrados em conjunto com certos medicamentos. Tome um multivitamínico diariamente para ajudar a restaurar os níveis de vitaminas e minerais, que podem ser exauridos pela hipocloridria. Especialistas em medicina alternativa também recomendam tomar vitaminas do complexo B. Beba chás de ervas, especialmente de gengibre ou chá verde, ou consuma ervas amargas em formulações líquidas. Acredita-se que essas bebidas estimulem a produção de HCI. Ervas como orégano, hortelã-pimenta, alho e extrato de semente de toranja têm demonstrado combater as bactérias, enquanto outras medidas dietéticas são usadas ​​para aumentar a produção de HCl no estômago.

  4. 4

    Sempre procure o conselho de um médico. Sintomas de hipercloridria podem às vezes parecer idênticos aos sintomas de excesso de ácido. O refluxo ácido é um sintoma comum tanto para níveis baixos quanto para níveis altos de ácido, embora o tratamento seja totalmente diferente em cada condição. Além disso, as soluções alternativas não têm sua eficácia comprovada cientificamente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível