Mais
×

Os melhores destinos para se divertir no São João

Reprodução fotospublicas.com|Andréa Rêgo Barros/PCR

Introdução

Uma das mais importantes celebrações folclóricas do Brasil é a festa junina. Todos os anos, o povo rende homenagens a Santo Antônio, São João e São Pedro. O mês de junho fica pequeno para tanta festa. As danças de quadrilhas, em que todos se vestem como caipiras, animam adultos e crianças, especialmente no ponto alto da apresentação: o casamento caipira. E há ainda comidas típicas, geralmente à base de milho, e bebidas como o quentão e o vinho quente. Algumas cidades fizeram questão de criar eventos bem grandiosos. Confira os melhores lugares conhecer essa tradição, herdada há séculos dos portugueses.

Flickr Christoph Diewald / Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.0 Generic (CC BY-NC-ND 2.0)

Barra (BA)

As festas juninas encontraram campo fértil na Bahia. O estado concentra o maior número de grandes festas juninas do Nordeste. Mais de 20 cidades realizam eventos de porte considerável, durante mais de uma semana. Um bom exemplo do que os baianos oferecem está na cidade de Barra. Lá, a folia dura oito dias, com muitas atrações musicais, prêmios e bailes de arrasta-pé, que viram as noites. A festa coincide com o aniversário da cidade, o que a torna ainda mais especial. Situada às margens do Rio São Francisco, o lugarejo de 50 mil habitantes recebe dezenas de milhares de visitantes.

Reprodução

Amargosa (BA)

Autodenominada “a cidade do Forró”, Amargosa é outra cidade baiana que capricha nas celebrações de junho. Com uma das maiores e mais famosas festas juninas do estado, a cidade conta com um espaço especial para a realização da folia, onde os visitantes encontram comidas típicas como milho cozido, amendoim e canjica, além de um licor delicioso. As danças de quadrilha e folguedos não podem faltar. Se quer participar da curtição, mas não dança muito bem, não se preocupe. Todos os anos a praça do Bosque sedia aulas para ensinar passos de dança e encarar a festança com a corda toda.

Reprodução

Mossoró (RN)

Um dos mais ricos municípios do interior do Nordeste, Mossoró rivaliza com Natal como a mais importante cidade do Rio Grande do Norte. E, no quesito festa junina, vence de goleada. Mais de 50 mil pessoas acompanham anualmente a celebração, com competição de quadrilhas, espetáculos teatrais, espaço especial para a criançada, concurso de maquetes juninas, artesanato e comidas típicas. Há ainda muitos shows – são cerca de 150 atrações, dispostas em vários palcos diferentes e trazendo vários gêneros musicais. Mas o que todo mundo curte mesmo é dançar coladinho o forró pé-de-serra. A folia nunca dura menos de 10 dias.

Reprodução

Petrolina (PE)

A cidade pernambucana de Petrolina, situada às margens do rio São Francisco, é sui generis. Mesmo encravada no sertão nordestino, é uma terra fértil, e que se destaca pela fruticultura. Próspero e populoso, o município recebe também uma das mais badaladas festas juninas do estado. No espaço multicultural Ana das Carrancas, há forró pé-de-serra, quadrilhas de são joão, barracas de comidas típicas, artesanato e, claro, muitos shows. As principais atrações da música sertaneja e ritmos nordestinos ganham espaço nos mais de dez dias de festa. A cidade, citada em várias canções da MPB, tem muito a oferecer aos visitantes.

Divulgação

Senhor do Bonfim (BA)

Outra cidade que se destaca pela festa de São João, Senhor do Bonfim se tornou conhecida como nada menos que “a capital baiana do forró”. Localizada a 375 km de Salvador, atrai os sertanejos que se sacodem com o forró e as danças de quadrilhas em cinco dias de muita alegria. Artistas conhecidos estão entre as atrações musicais, mas há ainda apresentações folclóricas como sambas de lata e de roda e desfile de carroças. Sanfoneiros de várias partes se reúnem ali para medir seus talentos. Quando a festa está em seu final, ganha novo fôlego com a “Ressaca do Sfrega”.

Divulgação

Aracaju (SE)

A maior parte das grandes festas juninas brasileiras é realizada em cidades do interior. Uma exceção à regra é a capital do Sergipe, que mostra um grande interesse pela tradicional festa e anuncia grandes atrações todo ano. Aracaju reúne mais de 120 atrações em, no mínimo, dez dias de muita quadrilha, quentão, vinho quente e danças folclóricas. O Forró Caju apresenta uma grande estrutura, comportando dezenas de milhares de visitantes na Praça do Mercado, epicentro da celebração. Apresentação de quadrilhas, shows musicais e uma gigantesca quermesse são as principais atrações. Boa parte dos artistas que se apresentam no evento são sergipanos.

Divulgação

Parintins (AM)

Não é só no Nordeste que se realizam grandes festas juninas. Vide o grandioso evento que ocorre na ilha de Tupinambarama, em Parintins. Aqui não há quadrilhas ou forró: as tradições europeias se misturam às dos indígenas locais, resultando em danças como a do bumba-meu-boi. Mas nada supera a disputa pelo título de campeão folclórico da cidade, entre os bois Caprichoso e Garantido. Um espetacular clima de Fla-Flu domina a cidade, que assiste às belíssimas apresentações no “Bumbódromo”, uma arena circular semelhante a uma praça de touros. A beleza visual rivaliza com a do Carnaval do Rio de Janeiro.

Divulgação

São Luís (MA)

Outra capital que investiu pesado nas festas juninas é São Luís. Embora o Maranhão seja um estado nordestino, a influência amazônica é gigantesca. Por isso, a celebração lembra mais a de Parintins que a de outras cidades. Aqui, o bumba-meu-boi é o foco. Além de Santo Antônio, São João e São Pedro, há outro homenageado: São Marçal. Ali, a festa é longa: dura todo o mês de junho, do primeiro ao último dia, sem descanso para os turistas e foliões. Outras grandes manifestações populares se destacam, como o tambor de crioula (dança típica que os escravos levaram para a região).

Reprodução

Campina Grande (PB)

Duas cidades nordestinas se digladiam, ano a ano, para saber quem tem a maior festa junina do mundo. Campina Grande é uma delas. A guerra é com muita alegria, música e uma estrutura impressionante. A festa ocorre durante todo o mês de junho, sendo que a cada dia comparecem cerca de 100 mil pessoas. É nesta cidade que acontece a maior dança de quadrilha junina do Brasil, com mais de 600 pares de dançarinos. E ainda há pau de sebo, casamento caipira, barracas de comidas típicas e artesanato, além de muitos shows. É festa que não acaba mais!

Reprodução Paulo Sampaio

Caruaru (PE)

A grande rival de Campina Grande no duelo pelo título de maior São João do Mundo é Caruaru. Ali também há festa do início ao fim do mês de junho. Os destaques são os espetaculares shows pirotécnicos, uma gigantesca fogueira de 11 metros de altura e shows com mais de 300 artistas. A grande contribuição, porém, fica com sua herança cultural. As apresentações de grupos de pífano (uma espécie rudimentar de flauta) e literatura de cordel chamam a atenção dos mais de 1,2 milhão de visitantes que comparecem ao pátio de eventos da cidade. Um festival de tirar o chapéu.