Menopausa prematura por causa de uma histerectomia parcial

Escrito por katie duzan | Traduzido por a. araújo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Menopausa prematura por causa de uma histerectomia parcial
Histerectomia parcial é um procedimento cirúrgico que envolve a remoção do útero, deixando o cérvix intacto (Keith Brofsky/Photodisc/Getty Images)

Uma histerectomia parcial é outro nome para uma histerectomia subtotal, um procedimento cirúrgico que envolve a remoção do útero, deixando o cérvix intacto. Como uma histerectomia também deixa os ovários no lugar, a maioria das mulheres continua a ovular e liberar hormônios, apenas sem a presença de menstruação, já que o útero foi removido. Algumas vezes, entretanto, remover o útero causa um trauma aos ovários, cortando a circulação sanguínea e "desligando-os". A maior parte dos casos é temporária, mas para algumas mulheres é permanente. O risco de passar por uma menopausa prematura por conta de uma histerectomia parcial é pequeno, mas ocorre em algumas mulheres.

Outras pessoas estão lendo

Efeitos

A menopausa precoce causada por uma histerectomia parcial tem exatamente os mesmos sintomas da menopausa natural — calor, alterações do humor, ganho de peso, fadiga, ansiedade, insônia, sudorese noturna, baixo desejo sexual, memória fraca e secura vaginal. A menopausa precoce também acarreta vários problemas de saúde com os quais as mulheres normalmente não precisam se preocupar até uma etapa posterior da vida. As mudanças hormonais causam a perda óssea, o que aumenta o risco de osteoporose num estágio anterior do que na menopausa natural. Doenças cardíacas e apoplexia são riscos associados à menopausa precoce, provavelmente por conta da menor quantidade de estrogênio no corpo após a interrupção da ovulação. O risco de desenvolver artrite também aumenta após a menopausa, então juntas doloridas precocemente também são uma possibilidade.

Identificação

Além dos sintomas físicos, há vários testes disponíveis para verificar os níveis hormonais, caso uma mulher sinta que está entrando na menopausa. Esses testes são confiáveis apenas se a mulher os fizer vários meses após a histerectomia parcial, pois os resultados antes disso podem ser apenas temporários. Testes de venda livre verificam níveis altos de hormônio folículo-estimulante (FSH) na urina e funcionam da mesma forma que testes de gravidez. Exames de sangue de FSH solicitados por um médico são mais confiáveis e geralmente têm os custos cobertos por planos de saúde. Altos níveis de FSH indicam um baixo nível de estrogênio causado pela interrupção da ovulação, também conhecida como menopausa. Esses testes não são perfeitos, mas dão uma boa ideia a respeito da ocorrência ou não da menopausa.

Período de tempo

Como os ovários estão ajustando-se à sua função regular após a remoção do útero, é normal apresentar alguns sintomas da menopausa após a histerectomia, mas geralmente eles somem após seis semanas. Depois desse período, a menopausa precoce é uma possibilidade. Em seu acompanhamento após seis semanas, discuta sua preocupação com seu médico.

Prevenção/solução

Uma vez feita a histerectomia, não há maneira de tratar ovários que pararam de funcionar. Para algumas mulheres, o tratamento para a menopausa é a terapia hormonal ou a reposição hormonal bio-idêntica. Além de hormônios, há várias formas de lidar com os sintomas da menopausa através de remédios caseiros, incluindo travesseiros refrigerados para a sudorese noturna, vestir várias camadas de roupas para acomodar a sudorese e usar lubrificantes para a secura vaginal. Praticar exercícios regularmente e manter uma dieta saudável também pode ajudar com a fadiga e o ganho de peso.

Equívocos

A maioria das mulheres não percebe que os sintomas da menopausa são comuns após uma histerectomia parcial, principalmente nas primeiras duas semanas após o procedimento. Geralmente os sintomas desaparecerão até seis semanas após a cirurgia. Esses sintomas variam bastante de mulher para mulher; enquanto algumas sofrem com sudorese, outras não a apresentam. Os sintomas mais incomuns, como a insônia, são frequentemente negligenciados e creditados a outras questões médicas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível