Os mitos de compras econômicas para as mães desmascarados

Escrito por shannon philpott Google | Traduzido por josé geraldo rabello petite
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail

Descubra suas próprias verdades sobre como economizar nas compras

Os mitos de compras econômicas para as mães desmascarados
Alguns conselhos padrões para fazer compras funcionam, mas nem todos eles resultam em economia de dinheiro (Jupiterimages/Creatas/Getty Images)

Escolhas econômicas nem sempre estão relacionadas com o preço. É necessário pensar se aquele item será utilizado.

— Jean Chatzy, especialista em finanças e autor do livro “Money Rules”

Alista de dicas sobre como economizar nas compras parece sem fim. As ideias mais comuns incluem as compras em grande volume, cupons de desconto e a formação de estoque durante as temporadas de liquidação. Mas todas essas práticas são mesmo as melhores no que diz respeito a economizar e encher a geladeira da família? Não tome decisões baseadas em mitos comuns, pois podem acabar custando mais caro. Verifique estratégias novas para economizar mais do que alguns centavos todas as vezes em que for às compras.

Mito nº 1: Maior é melhor

A frase “peça grande ou vá para casa” nem sempre indica o melhor no que diz respeito a economizar nas compras. O maior nem sempre é o melhor, segundo Teri Gault, fundadora e diretora executiva do thegrocerygame.com.

“Onde há três tamanhos, o tamanho médio é sempre a melhor opção em termos de custo por unidade. Com um cupom de desconto a matemática favorecerá o a tamanho menor”, diz ela.

Comprar em grande quantidade também pode levar ao desperdício. De acordo com Jeanette Pavini, especialista em poupança de famílias do Coupons.com, comprar em lojas de atacado só vale a pena se você utilizar tudo o que comprou antes da data de vencimento e antes que as crianças enjoem de comer o mesmo cereal por três semanas consecutivas.

Mito nº 2: Todos os itens do folheto do supermercado estão em promoção

Se você utiliza o folheto de ofertas do supermercado toda semana para fazer a sua lista de compras, pare. Essas ofertas podem ser enganosas.

“Muitas vezes, os folhetos de ofertas das lojas possuem itens que não estão em promoção. Eles apenas informam que aquele produto está disponível para venda”, avisa Pavini.

Mito nº 3: Marcas próprias são mais baratas

Você pode pensar que está fazendo um bom negócio ao comprar produtos de marcas próprias das lojas, ao invés de produtos de marcas reconhecidas, mas isso não é garantido. Compare o custo por unidade, de acordo com Gault, e você descobrirá que, muitas vezes, os produtos de marcas famosas possuem preços tão competitivos quanto aos de marca própria. Se você possui um cupom de desconto, o preço pode ser ainda menor.

Mito nº 4: Compre apenas os itens da lista

É bom que ir ao supermercado com a intenção de evitar compras impulsivas, mas permita-se sair um pouco do planejamento. Se ficar preso somente à lista de compras, poderá perder descontos em itens que eventualmente precisaria comprar.

“Quando se faz uma lista de compras, a probabilidade é de que 80% do produtos inclusos nela não estejam em promoção”, comenta Gault. Ao contrário, Gault incentiva a compra de itens em promoção.

“A maioria dos produtos que você gosta ou precisa entra em promoção uma vez a cada três meses. E uma vez que você pode fazer um estoque, a exceção dos perecíveis, não há nada de errado em comprar produtos em grandes quantidade e antes de acabarem", avisa Gault.

Mito nº 5: Planejar as refeições economiza dinheiro

Você já encontrou todos os ingredientes de uma receita em promoção? É bem provável que não. Por esse motivo, fazer um planejamento das refeições nem sempre resulta em dinheiro economizado. Planeje o que deve ter na despensa e tenha diversas opções para as refeições, poupando mais dinheiro.

“Eu tenho em torno de dez opções para o jantar em minha despensa”, comenta Gault. Olhe na geladeira, no freezer e na despensa, e se pergunte todos os dias: "O que eu posso fazer com os itens que comprei?" Você economizará dinheiro e não precisará planejar as refeições.

Mito nº 6: Carne cortada e embalada é mais barata

Os supermercados disponibilizam carne cortada e embalada e as ofertam como um bom negócio, mas é possível economizar mais dinheiro comprando a peça inteira. Pavini sugere que se barganhe o preço com o açougueiro para fazer um bom negócio.

"Muitas vezes, você pode comprar um carne fresca e com melhor preço se pedir a peça inteira e solicitar que o açougueiro corte-a", complementa ela.

Se puder, vá ao açougue ao final do dia.

"Você pode economizar dinheiro, pois no fim do dia a carne que restar terá um preço bem melhor", diz Pavani

Mito nº 7: Comida orgânica é mais cara do que comida não orgânica

Comidas orgânicas têm a fama de ser mais saudáveis e mais caras do que as não orgânicas. A questão da saúde é outro ponto, mas Jean Chatzky, especialista de finanças e autora do livro "Money rules", discorda.

"A escolha de produtos de alimentação mais econômicos nem sempre está relacionada com o preço. Você deve pensar se irá utilizá-los ou não. Eu compro leite orgânico religiosamente porque tem um prazo de validade maior do que o leite normal. Alimentos orgânicos duram por semanas e nunca estragam antes de serem utilizados. Assim eu gasto um pouco mais no preço do leite orgânico, mas não tanto quanto gastaria para repor o leite normal depois que azedar", comenta ela.

Também é possível economizar nos mercados de produtores, que oferecem alimentos típico da época do ano, têm maior abundância de oferta e preços melhores do que as lojas e supermercados podem oferecer, de acordo com o chefe de cozinha Nathan Lyon, autor do livro "Good food America", da Veria Living.

"Quando o milho ou o morango estão na época de colheita seus preços caem devido a grande oferta desses produtos. E onde mais, além de um mercado de produtores, você poderia encontrar um bom punhado de couve por R$ 2?", diz Lyon

Fazer compras no mercado de produtores próximo ao horário de fechamento pode ser ainda mais econômico.

"Não haverá muitas opções para selecionar, mas ainda dá para conseguir encontrar frutas e vegetais bonitos, e os vendedores já estão ansiosos para vender o que restou de produtos", diz Gault.

Usar ou não usar cupons de desconto

As pessoas podem se sentir desencorajadas a usar cupons de desconto, pois não sabem quando usá-los, mas Gault afirma que vale a pena.

"Uma família com quatro pessoas pode economizar uma média de R$1.028 por mês e gastar apenas 30 minutos por semana recortando os cupons de desconto. Quando há uma boa oferta nas lojas é o momento certo para usar os cupons. É tudo uma questão de tempo e acúmulo de cupons -- ofertas, mais cupons do fabricante, mais cupons das lojas e mais recompensas resultam em grandes economias", afirma ela.

Pavini diz que sempre vale a pena usar cupons de desconto.

"Graças à internet, você pode conseguir mais cupons e não precisa esperar os jornais de domingo para verificar quais estão disponíveis", comenta ela.

Chatzky, no entanto, chama a atenção para o fato de que possuir um cupom de desconto não significa que você tem que ir às compras.

"As mães de família devem entender que as oportunidades de negócio surgem espontaneamente e aos montes. Então, fazer a compra do produto se torna não mais uma questão de necessidade ou vontade, mas sim um prêmio como um troféu", diz Chatzky

No entanto, Chatzky recomenda que se reflita a respeito da necessidade do produto, como o utilizará, onde o guardará e o que aconteceria se não o comprasse.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível