Modelos de Cessna 310

Escrito por gus stephens | Traduzido por karyn meyer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

O modelo 310 foi a primeira aeronave bimotora fabricada pela Cessna após a Segunda Guerra Mundial. Com contornos aerodinâmicos e tanques de ponta de asa visualmente impressionantes para armazenamento de combustível — naquela época, uma novidade em aeronaves privadas — este modelo tornou-se rapidamente um símbolo do otimismo pós-guerra em relação ao futuro da aviação geral. Um 310 batizado de "Song Bird" (pássaro musical) foi apresentado em um programa de TV popular da época chamado "Sky King" (rei do céu). Mais de 6.000 exemplares foram vendidos durante sua produção, que se estendeu de 1954 até 1980.

Outras pessoas estão lendo

Lançamento do 310

O modelo de estréia do 310 foi entregue em 1954 com dois motores carburados de 240 HPs da Continental como equipamento padrão. Sua cabine comportava cinco pessoas e seu peso vazio era de 1.206 kg. Com uma velocidade de cruzeiro de 342 km/h, o 310 original possuía um alcance de 1.287 km.

Variações do 310: modelos 310-A a 310-B

A primeira variação do 310 foi o 310-A, uma cópia militar do modelo original que recebeu do Pentágono a denominação U-3A. O modelo civil 310-B que veio em seguida incluía alterações no painel de instrumentos e pequenas modificações no motor padrão de 240 HP da Continental, que foi melhorado para o 0-470-M.

310-C

O modelo 310-C de 1959 trouxe a primeira grande atualização da série. Motores a injeção da Continental, cada um desenvolvendo 260 HP, passam a ser o padrão. Janelas maiores foram adicionadas à cabine para aumentar a visibilidade. A capacidade de assentos aumentou para seis. A velocidade de cruzeiro foi ampliada para 357 km/h e a capacidade de combustível ganhou mais 246 litros, resultando em uma autonomia de 1.741 km.

310-D a 310-F

O 310-D foi lançado com a mesma configuração mecânica do modelo C, mas introduziu melhorias aerodinâmicas tais como um leme defletido. Este desenho característico da marca tornou os modelos posteriores a 1960 fáceis de serem reconhecidos. O 310-E é o precursor do modelo civil 310-F, sem alterações substanciais. Este último oferecia as mesmas especificações técnicas do 310-D mas incluía mudanças no desenho, como a duas janelas a mais na cabine e a remodelagem do nariz.

310-G a 310-J

O 310-G possuía tanques nas pontas das asas com um perfil reduzido, maior quantidade de assentos na cabine e maior peso de decolagem. Já o 310-H oferecia as mesmas especificações técnicas dos modelos F e G, mas com uma cabine levemente maior. Uma melhora no motor Continental IO-470-U acompanhou o modelo 310-I. Compartimentos de bagagem foram adicionados às naceles dos motores e outras pequenas mudanças estéticas foram feitas. Apenas algumas poucas modificações de projeto marcaram a transição para o Cessna 310-J.

310-K a 310-L

Especificações técnicas do 310-K mostram que a Cessna migrou para o motor IO-470-V, ainda um propulsor a injeção de 260 HP. As modificações aparentes incluíam janelas laterais prolongadas. O modelo 310-L que seguiu foi essencialmente um modelo K modificado para incluir um para-brisa inteiriço e uma maior capacidade de combustível.

310-M a 310-N

O 310-M foi uma reedição do 310-E e ficou restrito ao uso militar. O 310-N foi apresentado com um painel de instrumentos revisado e tanques de combustível opcionais atrás dos compartimentos do motor. Um motor IO-470-V-O foi instalado, ainda um Continental a injeção de 260 HP, como nas versões anteriores.

310-P a 310-Q

Observando o procedimento padrão da nomenclatura de modelos, em que o número do modelo termina com o algarismo 0, nenhuma variação do Cessna 310 foi produzido sob a letra de identificação O. O 310-P introduziu uma grande melhoria na motorização, oferecendo como opcional o modelo TSIO-520-B de 285 HP turbo-alimentado da Continental, aumentando a velocidade de cruzeiro para 355 km/h e a autonomia para 2.127 km. Este modelo contava ainda com um trem de nariz encurtado e um estabilizador dorsal. Mecanicamente uma cópia do 310-P, o modelo 310-Q aumentou levemente o peso de decolagem para 2.404 kg e mudou a configuração do teto da cabine e da janela traseiras.

310-R e o fim da produção

A última variação da série 310, o modelo 310-R adicionou hélices de três pás. Um motor melhorado — o Continental TSIO-520-M — aumentou a velocidade de cruzeiro deste tipo de aeronave para 371 km/h e aumentou sua autonomia para 2.127 km. Aperfeiçoamentos posteriores deste modelo incluíram uma extensão no nariz de quase 91 cm, visivelmente identificável nos modelos da metade da década de 1970 em diante. Esta modificação tornou possível acomodar até 158 kg a mais de equipamentos aviônicos ou carga no nariz. A produção do Cessna 310 foi encerrada em 1980.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível