Motivos para receitar Adderall

Escrito por jane wada | Traduzido por mariana dsp
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Motivos para receitar Adderall
Normalmente, o Adderall é usado para tratar o TDAH (Paul Hill: istock.com)

O Adderall é uma medicação estimulante normalmente usada para tratar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). O medicamento também é aprovado para tratar a narcolepsia.

Alguns médicos prescrevem o Adderall como um tratamento paralelo para depressão e perda de peso, contudo, devido ao seu perfil de segurança e ao potencial risco de dependência e abuso, certos fatores devem ser levados em consideração antes que o Adderall seja usado para tratar essas condições.

Outras pessoas estão lendo

Características

Originalmente desenvolvido pela Shire Pharmaceuticals, o Adderall também tem genéricos. Existe também uma formulação estendida (Adderall XR), que só é disponível como um produto de marca. O Adderall é uma combinação de dextroanfetamina e anfetamina, uma classe de fármacos com potenciais para desenvolver dependências e abusos. Por esse motivo, a venda do Adderall é controlada, e a receita é retida.

O medicamento ajuda a aumentar a atenção e diminuir a impulsividade e hiperatividade dos pacientes com TDAH, contudo, para aqueles que não sofrem do transtorno, esses efeitos são causados pelo estímulo do sistema nervoso central.

Os efeitos colaterais mais comuns do Adderall incluem diminuição do apetite, perda de peso, mudanças de humor, boca seca e dores de cabeça e de estômago. A medicação também pode exacerbar sintomas associados à síndrome de Tourette, como os tiques motores e fônicos e, assim como outras anfetaminas, pode comprometer as funções motores.

Pediatras, especialistas de desenvolvimento infantil, pediatras/médicos de família e psiquiatras são os que mais costumam prescrever o Adderall.

TDAH

O Adderall é um fármaco aprovado para o tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) em pacientes a partir dos 6 anos de idade. O TDAH é um transtorno de desenvolvimento caracterizado pela falta de atenção, impulsividade e hiperatividade. O início do TDAH ocorre antes dos sete anos de idade e, normalmente, o diagnóstico é feito em pacientes entre oito e dez anos, contudo, indivíduos que apresentarem falta de atenção como os sintomas primários podem não ser diagnosticados com o transtorno até a adolescência.

Narcolepsia

Os médicos prescrevem Adderall para o tratamento da narcolepsia, um transtorno clínico de sono, caracterizado por crises de sono profundo e perda do tônus muscular em pacientes a partir dos seis anos de idade. Outros sintomas incluem paralisia do sono e alucinações.

Os tratamentos de narcolepsia incluem medicamentos de longa duração que ajudem a ficar acordado, antidepressivos que suprimam o sono REM e derivados de anfetamina, como o próprio Adderall.

Depressão

Devido à atividade estimulante, o Adderall é prescrito como um tratamento não autorizado para depressões crônicas. Quando medicamentos tradicionais e a psicoterapia não melhoram os sintomas, os médicos podem prescrever medicamentos adicionais, como o Adderall, ou outros remédios psiquiátricos para ser usados em conjunto com o antidepressivo.

Perda de peso

Como perda de peso e diminuição do apetite são efeitos colaterais comuns do Adderall, alguns médicos prescrevem o remédio para o uso não apropriado de perda de peso. "Uso não apropriado" refere-se ao fato de usar um remédio para obter resultados que não sejam os específicos.

O Adderall não foi aprovado como tratamento para obesidade, mas outras anfetaminas já foram aprovadas para tratamento a curto prazo de pacientes obesos e acima do peso. Devido à capacidade de inibir o apetite, a anfetamina estimula a perda de tempo em curto prazo.

Contudo, o uso do Adderall para fins de perda de peso em pacientes que não tenham TDAH é controverso, devido aos efeitos colaterais da medicação. Ao mesmo tempo em que promove a perda de peso, ele também aumenta a irritabilidade, mudanças de humor e ansiedade. Aumento na frequência cardíaca e na pressão sanguínea são outros fatores que devem ser levados em consideração ao começar a tomar esse remédio para perder peso. Isso é especialmente importante para pacientes obesos e acimado peso, que têm chances ainda maiores de desenvolver doenças cardíacas. Também há de se pensar nos riscos de abuso do medicamento e nos potencias riscos de se desenvolver dependência.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível