O que faz o motor 454 7.4 ser único?

Escrito por rob wagner | Traduzido por mariana de mello andré scarani
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que faz o motor 454 7.4 ser único?
O Chevrolet Corvette foi um dos primeiros carros a receber o V8 de 454 polegadas cúbicas (Darrell Ingham/Getty Images Sport/Getty Images)

O motor Chevrolet V8 de 454 polegadas cúbicas, ou 7.4 litros, era um modelo potente e beberrão que deveria ter morrido de forma ignóbil após a crise do petróleo de 1973. Porém, ele sobreviveu, e se tornou um motor forte e trabalhador, e pai do motor 8.1 Vortec V8 8100. Ele era único por sua versatilidade. Em suas diversas configurações, ele foi usado desde em carros esportivos a picapes, além de aplicações marítimas e industriais. O 454 continuou em produção em caminhões até 1995 e depois apenas como motor para substituição.

Outras pessoas estão lendo

História

A guerra entre os muscle cars estava a todo vapor quando a Chevrolet lançou o 454 V8 em 1970. Ele era usado no Camaro, no Chevelle, no El Camino e no Corvette. Havia várias versões, incluindo o motor LS7, para o mercado de preparação, que chegava a 500 cv. A primeira versão, o LS5, usava um carburador de corpo quádruplo e produzia 360 cv no Chevelle e 390 cv no Corvette. Seu diâmetro de pistão era de 107,95 mm e o curso era de 101,6 mm. O 454 era, de certa forma, fora do comum, pois a Chevrolet costumava subavaliar a potência dos motores para enganar as seguradoras, que insistiam em cobrar mais nos seguros dos veículos de alto desempenho. Porém, as normas de emissões de poluentes mais rígidas obrigaram a Chevrolet a reduzir a potência do LS 454, que era a versão mais comum, em 1972, para 270 cv.

Injeção de combustível

Mesmo pelos padrões dos anos 1980, o 454 era uma relíquia do passado. Ele era enorme e gastador. A volta do motor 231 V6 para os carros da General Motors, no meio da década de 1970, provou que era possível obter um consumo melhor com motores mais compactos. Mas, em 1988, a Chevrolet começou a usar a injeção de combustível por corpo de borboleta (TBI) no 454. Era o mesmo sistema usado nos V8 de bloco pequeno e nos V6. O consumo melhorou consideravelmente e o sistema continuou sendo usado até 1995. Ele aumentou a vida útil do 454, que passou a ser usado em ônibus, veículos aquáticos e aplicações industriais.

A década de 1990

O 454 emergiu na década de 1990 com as mesmas características dos V8 de bloco pequeno. Ele recebeu um selo traseiro principal em peça única, tampas principais de quatro parafusos, capas de válvulas de alumínio e um conjunto de válvulas não-regulável. Porém, ele se destacava por sua potência, que ia de 305 a 450 cv. Em 1996, sua eficiência foi aumentada através da injeção de combustível sequencial, e ele passou a se chamar 7400 Vortec.

8100 Vortec

A mais importante contribuição do 454 para o legado dos motores V8 big block foi a sua versão de curso maior, que foi apresentada em 2001. A Chevrolet aumentou o deslocamento para 494 polegadas cúbicas, ou 8.1 litros, e mudou seu nome para 8100 Vortec. Ele possuía um projeto de bobinas próximas às velas e um redesenho completo. Ele usava apenas os centros das válvulas e dos pistões, e os diâmetros dos pistões do 454, mas o curso foi alterado para 110,99 mm. Este novo motor produzia até 330 cv e 62,2 kgfm de torque. Ele era usado nas picapes Chevrolet Silverado e Sierra 2500 e 3500, na picape de luxo Chevrolet Avalanche, no Chevrolet Suburban, no GMC Yukon e nos caminhões comerciais GMC Kodiak, TopKick e Workhorse. O 454, que virou 494, possuía melhor desempenho de trabalho do que seu irmão V8 396 e do que o 350 small block.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível