Mulheres casadas na época vitoriana

Escrito por troy wilde | Traduzido por paula belchior
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Mulheres casadas na época vitoriana
As esposas eram legalmente subservientes a seus maridos durante a era vitoriana (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

A era vitoriana se refere ao tempo da rainha britânica Victoria, que governou de 1837 até sua morte, em 1901. A era representou uma enorme população e a expansão econômica na Inglaterra, já que o mundo testemunhou a revolução industrial. O casamento durante a era vitoriana era muito diferente em relação ao casamento moderno, já que as mulheres eram legalmente subservientes a seus maridos, que controlavam todos os bens no casamento. O divórcio também era muito mais raro e mais complicado do que nos tempos modernos.

Outras pessoas estão lendo

Regras do casamento e etiqueta

O casamento durante a era vitoriana envolvia mais do que uma viagem para uma capela de casamento em Las Vegas ou a troca de votos em uma praia em algum lugar. A posição social era um fator importante na escolha de um parceiro. As mulheres eram incentivadas a se casarem dentro ou acima de sua posição social atual, o que pode significar mais dinheiro ou possivelmente um título. A noiva também tinha que oferecer um dote ao noivo ou uma propriedade, enquanto o noivo tinha que provar que ele podia sustentar sua futura esposa de uma maneira igual à sua posição social. Na época vitoriana, era legal se casar com um primo de primeiro grau, mas era ilegal se casar com a irmã de sua falecida esposa.

Divórcio

Durante a época vitoriana, o adultério era a única razão aceitável para o divórcio e geralmente era somente concedido ao homem. A mulher podia pedir o divórcio por motivos de adultério, mas ela também tinha que provar que seu marido era cruel e cometia outros atos ruins.

Propriedade marital

As mulheres da era vitoriana levavam o casamento muito a sério, porque muitas vezes envolvia todos os seus bens mundanos e costumava ser seu único meio de sustentação econômica. A maioria das mulheres em tempos vitorianos não foi educada e sua posição na vida era restrita às tarefas domésticas de uma esposa. Todas as propriedades de uma mulher, que poderiam ser significativas, se tornavam propriedade exclusiva do marido após o casamento. Uma mulher da era vitoriana não tinha o direito legal de passar sua propriedade para um parente após a morte. Todo o controle e distribuição da propriedade eram direitos do marido. Qualquer propriedade que uma mulher casada herdava também ficava sob o controle do marido.

O cortejo

O casamento da era vitoriana era mais eficiente e menos romântico do que o dos contos de fadas das histórias de amor que vemos em filmes e lemos em romances atualmente. O namoro envolvia a discussão aberta sobre os termos financeiros das núpcias pendentes entre as duas famílias. A futura noiva traria um dote que seria divulgado abertamente, embora o homem também fornecesse informações financeiras. As relações podiam ser comparadas a um acordo pré-nupcial comum na cultura de hoje. O homem presenteava a mulher com um anel de noivado, enquanto a mulher, às vezes, retribuía com um anel para o homem, mas não era necessário. A mãe da noiva era responsável por sediar um jantar de noivado para o casal. O noivado normalmente durava entre seis meses e dois anos antes do casamento.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível