Mais
×

O que as mulheres precisam saber para não ficar boiando na Copa

Getty Images

Introdução

A cada quatro anos, a história se repete: um bando de homens se reúne em casa, no bar ou mesmo no trabalho para assistir aos jogos da Copa do Mundo. Até algum tempo atrás, as mulheres viam tudo desconfiadas. Elas se pronunciavam apenas para falar como era esquisito ver 22 atletas correndo atrás de uma bola ou comentar a beleza dos jogadores italianos. Hoje, as coisas mudaram e muitas mulheres falam de futebol com muito mais propriedade que os marmanjos. Se você ainda não é uma delas, mas não quer ficar boiando durante o maior evento futebolístico do planeta, confira algumas informações fundamentais.

Ben Radford/Getty Images Sport/Getty Images

O básico do básico

A Copa do Mundo é um torneio organizado pela Fifa, a entidade máxima do futebol mundial, e ocorre a cada quatro anos. Cada edição é disputada em um único país-sede, com os jogos sendo distribuídos em várias cidades. Eventualmente, duas nações podem dividir juntas a honra e o desafio de receber o certame, como aconteceu com o Japão e a Coreia do Sul em 2002. A competição foi disputada pela primeira vez em 1930, no Uruguai, que também levantou o caneco. Desde então, houve apenas uma interrupção, causada pela Segunda Guerra Mundial, que resultou no cancelamento do evento em 1942 e 1946.

Mike Hewitt/Getty Images Sport/Getty Images

Como são escolhidos os países-sede?

Em geral, um grande número de países se candidata a receber a Copa do Mundo. A Fifa possui um comitê, formado por vários executivos da entidade, que é responsável por avaliar a capacidade dos pretendentes de sediar os jogos. Os candidatos precisam atender uma série de requisitos para suas candidaturas serem homologadas. Depois que são definidos os postulantes, as propostas são analisadas e uma delas é escolhida. Para definir as sedes entre 2002 e 2014, foi criado um sistema de "rodízio de continentes". Foi através desse sistema que o Brasil foi escolhido como sede da competição. Este esquema, no entanto, foi abandonado para as próximas edições.

Stephen Dunn/Getty Images Sport/Getty Images

Quantos países disputam a Copa?

Desde 1998, a Copa é disputada por 32 seleções (anteriormente eram 24), distribuídas por todo o mundo. O número de equipes por região é determinado de acordo com uma série de critérios, que vão de tradição futebolística até quantidade de nações filiadas às confederações. A Europa tem direito a 13 equipes e a África, a cinco. Da América do Sul participam quatro países, mas um quinto pode se classificar após uma repescagem. O mesmo acontece com a Ásia. A Concacaf, que compreende a América do Norte, Central e Caribe, tem três vagas e um quarto país pode se classificar por repescagem. A Oceania não tem lugar garantido e só terá representante no torneio se passar por repescagem. Por fim, temos a nação-sede.

Shaun Botterill/Getty Images Sport/Getty Images

Títulos e tradição

Os países da América do Sul e Europa dominam a Copa do Mundo, tendo vencido todas as edições até 2010. O Brasil é o grande campeão e ergueu a taça em cinco oportunidades (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002). Logo atrás, vem a Itália, com quatro triunfos (1934, 1938, 1982 e 2006). Os alemães têm três títulos (1954, 1974 e 1990), sendo que os dois primeiros foram vencidos pela Alemanha Ocidental, antes da reunificação. As equipes da África e Ásia têm evoluído bastante. Seus representantes já chegaram às quartas-de-final do torneio, mas nunca às semifinais.

Getty Images/Getty Images Sport/Getty Images

O campeão fica com a taça para sempre?

Não. Ao contrário do que ocorre em outras competições, ela é de posse transitória. Ou seja: fica com o país vencedor da Copa até que uma nova edição seja realizada. O primeiro troféu criado para o torneio, batizado de Jules Rimet, seria concedido à seleção que conseguisse três títulos. A façanha foi alcançada pelo Brasil em 1970, que manteve a joia em seu poder até 1983, quando acabou sendo roubada e derretida. Atualmente, o objeto de desejo das seleções é a Taça Fifa, feita com 5 quilos de ouro 18 quilates e criada por Silvio Gazzaniga. Ela passou a ser disputada a partir de 1974.

Laurence Griffiths/Getty Images Sport/Getty Images

Regra do impedimento

Não, esta não é uma invenção dos homens para dificultar a compreensão do futebol pelas mulheres. Essa regra tem o intuito de impedir que os atletas fiquem junto do gol o tempo inteiro. O impedimento é caracterizado quando o atacante está à frente do penúltimo jogador da defesa, no momento em que a bola lhe é passada, e não quando ela chega até ele. Para identificar a infração com eficácia, são designados os auxiliares (ou bandeirinhas), um em cada metade do campo. Localizado atrás da linha lateral, eles ficam posicionados de forma que seja possível ver se as jogadas são ilegais ou não. Se houver infração, ele aponta o jogador com a bandeira.

Getty Images/Getty Images Sport/Getty Images

Como passar da primeira fase?

As 32 seleções são divididas em oito grupos para a disputa da primeira fase. Dentro destas chaves, todos se enfrentam. Ou seja: as equipes jogam três partidas cada. Ao final, classificam-se as duas que somarem mais pontos (três para as vitórias e um para os empates). Caso haja igualdade entre dois países, os critérios de desempate são, nesta ordem: saldo de gols (número de tentos marcados menos os sofridos); melhor ataque; confronto direto (classifica-se quem tiver vencido o jogo entre estes pretendentes à vaga). Se nem assim houver uma definição, resta um sorteio, como aconteceu no Grupo F na Copa de 1990, entre Holanda e Irlanda.

David Cannon/Getty Images Sport/Getty Images

Quantas partidas para ser campeão?

Desde o Mundial de 1974, na Alemanha, é preciso jogar sete partidas para conquistar a Copa do Mundo. Obrigatoriamente, uma equipe disputa três jogos dentro de seu grupo, devendo se classificar entre os dois primeiros da chave. Passada esta etapa, as dificuldades aumentam consideravelmente. É chegado o momento das fases eliminatórias (oitavas-de-final, quartas-de-final, semifinal e final). No Brasil, estes jogos são carinhosamente apelidados de mata-matas. Com o afunilamento, não tem choro: perdeu, está eliminado da briga pelo título. No entanto, quem é derrotado nas semifinais tem um consolo: a disputa pelas medalhas de bronze.

Simon Bruty/Getty Images Sport/Getty Images

E agora, vai para os pênaltis?

É inevitável. Basta uma partida terminar empatada para que a dúvida surja na cabeça de várias pessoas, seja na Copa do Mundo ou outro torneio, como a Libertadores da América. No Mundial, esta pergunta não deve ser feita de forma alguma na fase de grupos. Nas três primeiras partidas, empatou, está empatado. A partir das oitavas-de-final, as partidas são eliminatórias. Então, em caso de empate, as equipes jogam mais dois tempos de 15 minutos cada. Se ainda assim ninguém vencer, passa-se aos pênaltis. Cada equipe tem direito a cinco chutes. Caso permaneça a igualdade, as rodadas de cobranças seguem até que um time abra um gol de vantagem. Haja coração!

David Cannon/Getty Images Sport/Getty Images

Dá para colocar italianos em todas as equipes?

Pergunta que toda mulher, se não fez, fatalmente vai fazer, para total irritação da torcida masculina. Tem também os argentinos, por quem as moças suspiram, mesmo eles sendo inimigos mortais da seleção brasileira. Mas podem tirar o cavalinho da chuva. Em uma seleção só jogam os atletas nascidos em seu próprio país ou naturalizados. No entanto, quem já jogou em partida oficial por uma seleção não pode defender outra, mesmo que tenha dupla nacionalidade. Esta regra dificulta o sonho das torcedoras de se realizar durante uma Copa. Mas não desanimem: acompanhe as partidas e mostre um pouco de seus novos conhecimentos sobre o esporte bretão.