Baixo nível de glicose e insulina em cães

Escrito por cate burnette | Traduzido por karina silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Baixo nível de glicose e insulina em cães
O corpo de um cão saudável produz insulina (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

O corpo de um cão saudável produz níveis normais do hormônio insulina para regular os níveis de glicose no sangue. Quando uma dessas duas substâncias fica muito alta ou muito baixa, o corpo do cão reagirá e avançará para uma doença.

Outras pessoas estão lendo

Hipoglicemia e sintomas

Baixos níveis de glicose no resultado do exame de sangue são uma condição conhecida como hipoglicemia. Isso pode ser um problema em filhotes, geralmente com menos de três meses de idade, que são incapazes de mamar na mãe, que estão desnutridos ou que podem estar com parasitas intestinais. Em cães adultos, a hipoglicemia pode ocorrer em animais que se exercitam em excesso e naqueles que receberam uma dose excessiva de insulina para o tratamento da diabetes. Em casos raros, pode ser causada por um tumor maligno no pâncreas que secreta insulina em excesso na corrente sanguínea do animal.

Os sintomas podem incluir letargia e fraqueza, falta de coordenação, perda de apetite, convulsões e pupilas dilatadas. Os cães hipoglicêmicos podem entrar em coma e morrer se não forem tratados.

Diabetes Mellitus e sintomas

A insuficiência do hormônio insulina em cães é chamada de diabetes mellitus. Produzida pela glândula chamada pâncreas, a insulina regula a concentração de glicose no corpo do cão. Sem insulina, o animal é incapaz de converter glicose em energia mecânica, e seu corpo começará a usar suas próprias células de gordura para produzir energia.

Os cães diabéticos bebem uma quantidade excessiva de água e têm um aumento na frequência urinária. Eles podem apresentar uma perda de peso acentuada e má condição física com um bom apetite. Também podem ficar desidratados, fracos, ter baixa frequência de batimentos cardíacos e começar a vomitar. A formação repentina de catarata e a cegueira também são sintomas dessa doença.

Tratamento

Os cães hipoglicêmicos precisam ser monitorados de perto. Eles devem ter uma rotina alimentar consistente que mantenha a variedade e a quantidade dos alimentos consumidos, e não se deve permitir que se esforcem demasiadamente. Os veterinários podem sugerir que esses cães sejam hospitalizados para que sejam administrados fluidos intravenosos e suplementos nutricionais. Os donos desses cães devem ter açúcar disponível (a glucose de milho é frequentemente recomendada) no caso de ocorrerem os sintomas.

Os animais diabéticos precisam de terapia com insulina ao longo de toda a vida. Normalmente, os veterinários colocam esses cães em uma dieta rica em fibras e carboidratos complexos para aliviar os picos nos níveis de glicose após as refeições. Os níveis de glicose no sangue precisam ser verificados periodicamente, e os níveis de insulina ajustados para considerar qualquer mudança na concentração de glicose.

Considerações

A hipoglicemia geralmente ocorre em filhotes porque estes ainda não desenvolveram a capacidade de regular os níveis de açúcar em seu sangue; as raças do tipo "toy", como o Maltês e Yorkshire Terrier, são mais comumente afetadas. Os filhotes de grandes ninhadas precisam ser monitorados para se assegurar que eles estejam recebendo a nutrição apropriada de sua mãe, e todos eles precisam ser vermifugados logo após o nascimento.

A diabetes mellitus é uma doença de cães de meia-idade, sendo que as fêmeas têm duas vezes mais chances de serem afetadas do que os machos. Os cães de raças pequenas (Poodles, Schnauzers, Dachshunds, Cocker Spaniels e Cairn Terriers) parecem ser predispostos a essa doença. Os animais que sobrevivem a problemas na glândula pancreática, como cinomose e parvovirose canina, podem também ser mais suscetíveis a diabetes.

Advertência

A hipoglicemia pode ser rapidamente fatal em filhotes e cães idosos. Se deixados sem tratamento, eles podem morrer dentro de horas após o início dos sintomas. A diabetes também pode ser fatal em cães sem tratamento, no entanto, com tratamento apropriado à base de insulina e monitoramento da glicose, a maioria dos cães pode ter uma vida boa e feliz.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível