Oftalmologia canina: problemas com cegueira silenciosa

Escrito por jamie rankin | Traduzido por juliana néris nakanejo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Oftalmologia canina: problemas com cegueira silenciosa
A cegueira nos cães pode algumas vezes apresentar pouco ou nenhum sinal (dog eye image by Kavita from Fotolia.com)

Na maioria do tempo, os donos de cães podem notar facilmente se alguma coisa está errada com seus amigos peludos, mas certos problemas de saúde podem apresentar muito pouco ou nenhum sintoma. A cegueira silenciosa é uma dessas condições. Essa doença leva à perda da visão em um ou ambos os olhos sem apresentar sinais aparentes de inflamação ou dano -- resumindo, é uma cegueira aparentemente inexplicável.

Outras pessoas estão lendo

Causas

A cegueira silenciosa pode ser causada por uma série de motivos e os problemas podem ocorrer na retina e no nervo ótico. A síndrome da degeneração adquirida e súbita de retina (SARDS) é comum em cães idosos e a retina descolada ou com atrofia também pode ser a culpada. A neurite ótica, ou inflamação do nervo ótico, pode causar a cegueira silenciosa, assim como um trauma ou subdesenvolvimento do nervo, conhecido como hipoplasia do nervo ótico. Lesões e mesmo envenenamento podem contribuir para causar a doença.

Fatores de risco

Embora a cegueira silenciosa possa ser difícil de ser notada até que seu cão comece a tropeçar nos objetos, há outros fatores de risco que os donos devem ficar atentos. A pressão alta pode causar o descolamento da retina e a diabetes canina que não estiver bem controlada pode levar à catarata. Adicionalmente, algumas raças de cães ou linhagens podem ter uma predisposição genética aumentada para certas condições que podem levar à cegueira. Por exemplo, algumas raças podem ser mais propensas para catarata que outras, ou cães com uma certa linhagem podem ser geneticamente predispostos à atrofia da retina.

Diagnóstico

Se você suspeita que seu cão está sofrendo de cegueira silenciosa, seu veterinário deve examiná-lo cuidadosamente. Paul E. Miller, diplomado pela "American College of Veterinary Ophthalmologists" e professor da universidade de Wisconsin-Madison, recomenda primeiro observar os movimentos do cão em uma área bem iluminada antes de movê-lo para uma sala quieta e escura para observar melhor. Cada olho deve ser examinado separadamente, cobrindo o outro; isso irá ajudar o veterinário a determinar se o cachorro tem visão em cada um. Outros testes incluem tocar suavemente o olho para induzi-lo a piscar e mover a cabeça para cima, para baixo e para os lados para acessar a mobilidade. Miller detalha uma série de exames usando luzes brilhantes, seguida pelo exame oftalmoscópio.

Tratamento

Dependendo da causa da cegueira do seu cão, o veterinário recomendará cirurgia ou medicação. A catarata pode ser removida cirurgicamente e a retina descolada pode ser fixada de novo. A atrofia da retina e SARDS, entre outras causas da cegueira, não podem ser efetivamente tratadas. Diabetes e pressão alta podem ser medicadas, mas o controle dessas doenças não pode restaurar a visão do seu cão. Entretanto, na maioria dos casos, os cachorros cegos poderão levar uma vida normal e feliz.

Acompanhamento

Os cães com cegueira silenciosa precisarão de uma rotina de testes oftalmológicos para ter certeza de não que mais problemas tenham se desenvolvido e, se um tratamento foi feito, para verificar sua efetividade. Esses exames de acompanhamento são cruciais, porque se a condição que causou a cegueira tiver recorrência, a falta de tratamento pode levar à complicações, como a perda permanente da visão, dor por inflamação crônica ou perda do olho. Cães que se tornam menos ativos pela perda da visão também podem ganhar peso se a sua dieta não for cuidadosamente monitorada.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível