Como parar a formação de queloide

Escrito por merle huerta | Traduzido por kelly isayama
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como parar a formação de queloide
Para melhores resultados, trate queloides assim que eles aparecerem (skin treatment applying image by starush from Fotolia.com)

Queloides são cicatrizes densas e fibrosas que se formam após a cura de um dado ferimento. Ao contrário das cicatrizes normais que se achatam e somem com o passar do tempo, o queloide é alto, tem formato de cúpula ou de garra e sua cor varia de rosa até vermelho, possuindo um aspecto brilhante. Além disso, eles tendem a crescer além das bordas do ferimento original, não encolhem espontaneamente e podem coçar ou ficar sensíveis ao toque. Além do mais, também se tornam um problema estético, especialmente quando eles se formam no rosto, nos lóbulos das orelhas que são perfurados com piercings ou espontaneamente no peito ou nas costas. Em casos cirúrgicos, injeções de corticosteroides e compressão parecem ser o método de escolha mais agressivo e eficiente. No entanto, o tratamento é impreciso e nem sempre funciona. Se a cirurgia não for sua primeira escolha, há métodos tradicionais e alguns alternativos que poderão ajudar a reduzir e prevenir a formação de queloides.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Não cutuque a casca que irá se formar. Tirar a casca estimula a produção de colágeno, um componente do tecido cicatricial. Uma vez que a casquinha cair, hidrate a pele em torno da cicatriz que está se formando. Se um queloide se desenvolver, tratamentos tópicos podem reduzir o inchaço e o crescimento do queloide. O Mederma, um gel tópico feito com extratos de plantas baseadas em cebola e alho, poderá clarear e melhorar a superfície da cicatriz, de acordo com o site Homemade Remedies. O site recomenda a aplicação do gel de três a quatro vezes por dia enquanto a cicatriz ainda for recente.

  2. 2

    Incorpore alimentos ricos em vitamina E à sua dieta. A vitamina E, ou tocoferol, encontrada em tomates e pimentas, acelera o processo de cicatrização do corpo. Além disso, bioflavonoides ou antioxidantes que dão cor, fragrância e sabor a frutas, possuem efeitos antibacterianos, fibrinolíticos, antistamínicos e antiproliferativos tanto em células normais como nas malignas. Embora os queloides não sejam considerados tumores malignos, eles respondem aos tratamentos utilizados para combater o câncer. A quercetina, um poderoso bioflavonoide, poderá ser encontrada em cebolas, maçãs, vinho tinto e chá mate, segundo o eMedicine.

  3. 3

    Higienize o ferimento e o curativo. Se a ferida estiver aberta, cubra-a com uma bandagem limpa. Se a cicatriz começar a formar um queloide, fale com seu dermatologista sobre o melhor tratamento. Embora os queloides não respondam a um tratamento específico, seu médico pode sugerir dois ou três métodos para serem usados em combinação. Por exemplo, em 50% dos casos onde a remoção cirúrgica foi escolhida, a cicatriz voltou e, às vezes, ainda mais agressivamente que antes. Contudo, quando esse método é combinado com curativos de silicone, terapia de compressão (uso de bandagens pressurizadas por extensos períodos de tempo) e injeções de corticosteroides, os casos bem sucedidos aumentaram significantemente, de acordo com o eMedicine.

  4. 4

    Considere tratamentos alternativos e holísticos como a massagem com tecido. Assim como a terapia de compressão, a massagem tem mostrado considerável redução da coesão das fibras de colágeno, que formam o tecido cicatricial. Ela aumenta a circulação da área, alivia a dor e a rigidez, amaciando a cicatriz. Além da massagem, aplicações tópicas de óleo de lavanda, pasta de sândalo e aloe vera tem sido eficazes no clareamento e melhora da textura da cicatriz, de acordo com o Skin Care at Home.

  5. 5

    Tome medidas preventivas, se há a propensão de formação de queloide. O melhor modo de lidar com um queloide é não ter um. Geralmente, se você ou membros da família tiverem a propensão de desenvolverem queloides, evite cirurgias dermatológicas ou procedimentos como a aplicação de piercings. Além disso, evite o bronzeamento e o fumo. Ambos contribuem para mudanças na pele que reduzem a produção saudável de colágeno, para o envelhecimento prematuro e causam a oxidação de radicais livres na pele, o que afeta o processo natural de regeneração, segundo o Centro de Ciências da Universidade do Texas.

  6. 6

    Entenda a predisposição genética da família. A maior incidência de queloides é encontrada em negros e em populações asiáticas. De acordo com o National Institutes of Health, o valor é estimado entre 4 e 6%, sendo que o número aumenta para mais de 16% em negroides africanos. Na verdade, queloides agressivos, também conhecidos como queloides mórbidos, são mais comuns em populações afro-caribenhas que em populações de países do norte da Europa.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível