Como fazer pedicure em uma pessoa diabética

Escrito por juliet myfanwy johnson | Traduzido por mariana mello de souza
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como fazer pedicure em uma pessoa diabética
Pedicure (George Doyle/Stockbyte/Getty Images)

A diferença entre fazer pedicure em uma normal e em uma pessoa diabética é que a última pode ter problemas circulatórios que resultam em perda de sensação no pé ou em pele muito sensível. Além disso, devido aos problemas de circulação, a pele dos pés do diabético pode ser seca, fina e escamosa. O tratamento de pedicure em um diabético além de energizar os pés, relaxa e suaviza. Com cuidados extras, esta é uma atividade que seu amigo diabético pode gostar e ficar empolgado. Afinal, quem não gosta de ser mimado?

Nível de dificuldade:
Moderadamente fácil

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Água quente
  • Banheira plástica ou algum recipiente similar para colocar os pés
  • Sabão neutro
  • Escova pequena de esfregar
  • Pedra-pomes
  • Cortador de unhas
  • Lixa de pé
  • Toalhinha
  • Toalhas
  • Loção
  • Esmalte para unhas

Lista completaMinimizar

Instruções

    Como fazer pedicure em um diabético

  1. 1

    Sente-o em uma cadeira confortável e levante suas calças, deixando a pernas de fora. Coloque o pé da pessoa na água quente e o ensaboe. Certifique-se de que a água não esteja quente demais para não queimá-lo. Caso ache confortável, pode deixar a água um pouco mais fria, uma vez que o diabético não é capaz de dizer se está muito quente devido a sua insensibilidade.

  2. 2

    Observe se há rachaduras no calcanhar, áreas sensíveis ou feridas nos pés antes de colocá-los no banho. Verifique se o pé é sensível e pergunte se há algum problema específico neles, na pele ou nas unhas. Pergunte se está pressionando forte o pé enquanto o segura, e se a pessoa sente cócegas ou se é capaz de sentir o toque. Isso ajudará você a mostrar o quão delicado é o pé e como tratá-lo, além de possibilitar o inicio de um diálogo. Pergunte ao diabético se algo dói, se está satisfeito ou se alguma parte específica precisa de mais atenção.

  3. 3

    Coloque os dois pés na banheira e ajuste a temperatura se for necessário. Deixe-os de molho por cinco a dez minutos. Pergunte ao seu paciente se ele gostaria de uma revista para ler. Molhe os dois pés e os ensaboe, esfregando-os suavemente, também entre os dedos, com um pano.

  4. 4

    Deixe um pé de molho e retire um da bacia. Primeiro, utilize a escova de esfregar para amolecer e remover a pele superior, principalmente ao redor do tornozelo, calcanhar e o dedão do pé. Lixe embaixo das unhas dos pés se essa área não for muito sensível. Lave os pés na água e sabão. Novamente, repita o processo utilizando a pedra-pomes. Use-a de forma delicada onde tiver calos, principalmente na parte de trás e na parte de baixo do calcanhar, e também na bola do dedo do pé. Molhe o pé parcialmente para poder usar a pedra-pomes e, assim, mantê-lo hidratado.

  5. 5

    Corte as unhas dos pés, tendo cuidado com os lados das unhas encravadas, pois o rompimento da pele do dedo do pé pode transmitir infecções que são difíceis de curar. Seja conservador com o corte das unhas, a não ser que elas sejam maleáveis. Use uma lixa para suavizar e moldar as unhas. Lave e seque o pé limpo. Passe loção, massageando-o suavemente, inclusive o tornozelo e a panturrilha. Enrole os pés em uma toalha seca e quente para aquecê-los.

  6. 6

    Repita o mesmo processo com o segundo pé. Quando finalizar, passe uma loção nos pés secos. Peça para o seu paciente escolher uma cor de esmalte e pinte suas unhas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível