Mais
×

Como os peixes sobrevivem quando um lago congela?

Atualizado em 21 fevereiro, 2017
Entenda como os peixes sobrevivem em águas congeladas (Jupiterimages/Creatas/Getty Images)

Adaptação ectotérmica

Peixes que vivem em lagoas são capazes de sobreviver ao inverno quando a água congela por eles serem capazes de se adaptarem a alterações climáticas drásticas. Quando um lago congela, ele nunca fica completamente sólido. Mesmo quando as temperaturas ficam abaixo de zero, apenas uma porcentagem de gelo se forma, deixando água líquida abaixo dele, com mais ou menos 1 a 4°C de temperatura. Emboras as pessoas não possam sobreviver nessas condições por mais do que alguns minutos devido à queda de temperatura que seus corpos sofreriam, os peixes conseguem viver nessas águas porque eles são ectotérmicos. Isso significa que os peixes não controlam sua temperatura corporal, que chega a ficar bem próxima à temperatura da água ao redor. O termo mais comum para descrever essa característica é que os peixes são animais de sangue frio.

Metabolismo reduzido

A taxa metabólica de um peixe nadando abaixo de uma camada espessa de gelo em um lago abaixa muito em relação aos meses de verão. Pelo fato da água ficar cada vez mais gelada, a temperatura corporal dos peixes também abaixa. Eles reduzem suas atividades metabólicas e não ficam mais tão velozes quanto como costumam ser em águas mais quentes. A energia que o peixe precisa para sobreviver é bem menor no frio, o que é bom, já que não há a mesma abundância de alimentos encontrados no verão. Algumas espécies encontradas em lagoas, como bagres, carpas e dourados, armazenam o máximo de gordura possível em seus corpos, comendo intensamente no verão e no outono para que eles tenham reservas suficientes durante o inverno. Bagres e enguias também se enterram na lama, no fundo do lago, e esperam o retorno da primavera.

Encontrando alimento

Algumas espécies de peixes ainda se alimentam ativamente com qualquer coisa que eles consigam encontrar. A perca, o Lepomis Macrochirus, a truta e o lúcio são peixes que evoluíram e passaram a conseguir elevar suas temperaturas corporais, mesmo na água gelada, para manter a capacidade de comer. Felizmente, eles não precisam ingerir a mesma quantidade de alimentos que no verão, já que as iscas diminuem por terem sido amplamente predadas nos meses mais quentes. Os peixes maiores comem peixes menores e são capazes de capturar quaisquer iscas restantes na água, mas as espécies menores dependem de outras fontes alimentícias. A perca-sol, a perca e o Lepomis Macrochirus se alimentam de larvas imaturas de grandes variedades de insetos aquáticos que vivem no lago e que são encontradas na lama do fundo. Pequenos zooplânctons também são consumidos no inverno, já que eles permanecem ativos durante esse período. Quando o tempo esquenta, as plantas da parte superior do lago podem ficar presas no gelo e são puxadas para cima, já que o gelo sobe e as carrega junto. Isso faz com que as raízes saiam da terra e subam, tornando os insetos aquáticos visíveis e presas fáceis para os peixes famintos.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article