Perigos da energia nuclear

Escrito por edwin thomas | Traduzido por guilherme ferreira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Perigos da energia nuclear
Quais os perigos da energia nuclear? (nuclear power station 5 image by Vitezslav Halamka from Fotolia.com)

Se, por um lado, a energia nuclear oferece uma fonte de eletricidade livre de emissões que causam o efeito estufa, também pode criar perigos que são únicos a essa indústria, pois é a única fonte de energia que produz lixo radioativo e tem consequências catastróficas em casos de falhas graves de segurança. Enquanto os perigos do lixo da energia nuclear são similares de algumas maneiras aos dos outros lixos tóxicos, os vazamentos radioativos têm o potencial de envenenar um ambiente por séculos, e não anos. Além disso, os perigos de um acidente com um reator são incomparáveis aos de qualquer outro acidente.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

A energia nuclear é o processo que converte calor produzido por uma reação de fissão nuclear, primeiro em energia cinética por meio de uma turbina e, depois, em eletricidade por meio de um gerador. Neste aspecto, não é diferente do funcionamento geral de uma usina termoelétrica, que usa o calor da queima de combustíveis fósseis ou de fontes geotermais. A principal fonte de perigo da energia nuclear resulta da reação de fissão nuclear e do lixo produzido pelo processo.

Tipos

Há dois tipos de perigos da energia nuclear. O primeiro deles é o acidente, que resulta da perda de controle da reação em cadeia de fissão. O perigo aqui é que o calor produzido seja maior do que a capacidade do resfriador do reator, o que causa uma reação nuclear. Há, então, uma possibilidade de falhas de sistema que podem liberar radioatividade no ambiente. No caso de uma falha extrema, o resultado seria um derretimento nuclear, em que o material nuclear em reação queima ou derrete o recipiente de contenção e entra no chão e, consequentemente, nos lençóis freáticos. Um acidente deste tipo lança uma enorme nuvem de fumaça e fragmentos radioativos na atmosfera. Eles podem liberar radioatividade em uma área vasta. Um acidente pequeno e bem contido pode contaminar apenas a usina, mas um acidente de grandes proporções pode liberar partículas radioativas por todo o mundo.

O segundo perigo resulta do descarte de lixo do reator. Os combustíveis usados de uma usina nuclear são radioativos e altamente tóxicos. Eles também representam riscos de segurança, pois um terrorista que adquira uma quantia substancial de lixo nuclear pode criar algo conhecido como "bomba suja", com o propósito de espalhar material radioativo em uma área ampla. Um acidente ou ataque que envolva lixo radioativo provavelmente contaminaria uma área relativamente pequena.

Considerações

O aspecto mais significante de um acidente nuclear é sua enorme duração. Os materiais radioativos continuam tóxicos por séculos ou milênios, e têm o potencial de manter áreas contaminadas como perigosas ou inabitáveis por um longo período.

Prevenção / Solução

Como o projeto das usinas nucleares se desenvolveu, tornou-se intrinsecamente mais seguro. Os sistemas atuais possuem várias salvaguardas redundantes, com uma abordagem de defesa em profundidade para prevenir uma falha completa seguida de derretimento total. Além disso, os projetos modernos tornam a possibilidade de uma perda crítica de controle menos provável. Por exemplo, o design de água leve usa água como moderador da reação. Quanto mais quente a água ficar, menos densa ela fica e, portanto, coloca maior moderação na reação, criando um ciclo de reações negativo.

Aviso

Por outro lado, pouco se fala sobre o armazenamento a longo prazo e descarte do lixo radioativo nos Estados Unidos. O projeto Yucca Mountain Repository, que já é antigo, mas sempre foi muito contestado, não parece que vai ser concluído, e não há proposta substancial para trocá-lo por outro depósito de lixo melhor. Por enquanto, o lixo radioativo fica espalhado pelo país em depósitos que são, pelo menos em teoria, apenas para uso temporário.

Concepções errôneas

Pensa-se que um acidente nuclear grave em um reator resultaria em uma explosão nuclear. Isso é impossível. Uma bomba atômica requer um nível de enriquecimento de urânio que nunca é encontrado em uma usina nuclear comercial e mesmo os reatores que usam plutônio não são capazes de reproduzir as condições necessárias para que uma fissão repentina nuclear cause uma explosão. Qualquer "explosão" em um acidente nuclear será fruto da erupção massiva causada pela emissão de fumaça do reator nuclear fervente atingindo a água subterrânea.

História

Houve dois acidentes grandes em usinas nucleares. O primeiro foi o acidente de 1979 em Three Mile Island, na Pensilvânia. O segundo (e bem mais grave) foi o Desastre de Chernobyl em 1986, que aconteceu na Ucrânia (então União Soviética). Acidentes devido ao mau uso ou roubo de lixo radioativo têm sido bem mais comuns, mas não são comparáveis a Three Mile Island ou Chernobyl em termos de quantidade de radioatividade liberada ou área afetada.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível