Perigos da serrapeptase

Escrito por david j. harvey | Traduzido por ikaro mendes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Perigos da serrapeptase
A serrapeptase pode ser apontada como uma droga milagrosa, mas cuidado com possíveis riscos (Image by Flickr.com, courtesy of D R)

Uma enzima anti-inflamatória natural derivada do bicho-da-seda, a serrapeptase foi testada para uma variedade de tratamentos médicos. Embora seja mais comumente usada no Japão, ela está ganhando popularidade em todo o mundo por tratar de dor e inchaço. Além disso, de acordo com o Dr. Ray Saheliana, essa enzima tem sido estudada como um tratamento para a doença pulmonar crônica, doenças crônicas do ouvido, nariz ou garganta, síndrome do túnel-cárpico e edema formado após uma operação ou ferimento.

Outras pessoas estão lendo

Efeitos colaterais

Como todos os medicamentos, naturais ou sintéticos, alguns utilizadores da serrapeptase têm sentido efeitos colaterais. Estes incluem dores repentinas depois de algumas semanas de uso. Há também relatos de reações alérgicas na pele, assim como casos documentados de desenvolvimento de pneumonite dos pacientes. Além disso, foi relatado que uma mulher japonesa de 28 anos de idade desenvolvera disfunção hepática após o uso da serrapeptase em 1998. No entanto, o percentual de pacientes com queixas sobre os efeitos colaterais entre os usuários globais de serrapeptase continua significativamente baixo.

Fatores de risco

Antes de iniciar qualquer tratamento, consulte um médico. Ao decidir tomar serrapeptase é importante discutir o seu histórico de alergias, pois essa é a causa mais provável para reações de pele e desenvolvimento de pneumonia. O potencial para danos no fígado ou doença também deve ser considerado, apesar de raro.

Dosagem correta

A consulta adequada com um médico licenciado deve esclarecer qualquer dúvidas, mas a melhor maneira de evitar os perigos da serrapeptase é usá-la na dosagem correta. Atualmente, o rótulo do produto recomenda uma dosagem de uma ou duas vezes por dia. No entanto, tanto o Dr. Sahelian quanto o Dr. Hans Nieper, defensores da utilização da serrapeptase, recomendam limitar a uma dose diária de um comprimido, ou 200 mg, até a conclusão das pesquisas. Mais uma vez, discuta quantidades de dosagem com um médico antes de automedicação.

Sintomas

Apesar do aparecimento de erupções na pele poder não significar o fim imediato do uso da serrapeptase, sinais de pneumonia ou disfunção hepática devem significar. Se tiver tosse intensa, febre ou outros sinais de pneumonia, especialmente se você estiver tossindo e com secreção, pare de tomar serrapeptase e visite um médico. O mesmo se aplica se você apresenta sintomas de insuficiência hepática, incluindo micção frequente, dor abdominal grave ou uma coloração amarelada da pele.

Alternativas

Enquanto serrapeptase é a alternativa de medicamentos mais tradicionais, outros medicamentos anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) são prescritos frequentemente pelos médicos por causa de comprovações de testes e um longo histórico de sucesso no uso. Se houver qualquer motivo pelo qual a serrapeptase não está sendo boa para você, consulte um médico para saber quais AINEs seriam mais apropriados; o seu histórico médico completo e um exame de saúde são sempre importantes para identificar os potenciais perigos de qualquer medicação específica.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível