×
Loading ...

Como fazer placas de ágar no laboratório de microbiologia

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

Placas de ágar são itens comuns de laboratório usados por cientistas fazendo experimentos de microbiologia. Elas são usadas como meios de cultura de colônias individuais de bactérias, como a E. coli, em uma superfície sólida que contém todos os nutrientes necessários que suportam a expansão desses microrganismos. As colônias podem então ser isoladas e crescerem em uma cultura líquida ou serem analisadas geneticamente. O método para montar placas de ágar é básico, e todos os cientistas e alunos devem dominar, já que esse geralmente é o primeiro passo antes de se passar para experimentos mais avançados, como clonagem de genes ou ensaios bacteriológicos geralmente realizados em laboratórios de microbiologia.

Instruções

O bico de Bunsen é essencial para a produção de placas de ágar (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

    Fazendo placas de ágar

  1. Pese em uma balança de laboratório os seguintes itens: 10 g de triptona bacteriana, 5 g de cloreto de sódio, extrato de levedura e 15 g de ágar. Misture os ingredientes secos e então acrescente 1 mL de 1N de hidróxido de sódio antes de completar o volume de 1 L com água destilada. Isso deve ser cuidadosamente decantado em um frasco resistente ao calor, tampado e então autoclavado por 25 minutos. Deixe esfriar até que o meio atinja 50 °C, mas não deixe chegar a menos que isso, já que o meio pode se solidificar antes dele ser dispensado. Trabalhe sob condições estéreis (no fluxo laminar ou perto de um bico de Bunsen aceso) em passos subsequentes. Se qualquer antibiótico ou suplemento natural for necessário para que a bactéria sobreviva, esterilize e filtre-os para depois acrescentar ao meio em 50 °C. Misture bem até que o meio fique homogêneo.

    Loading...
  2. Remova as placas de Petri das embalagens, mas não jogue o papel fora. Coloque as placas em uma camada única e, então, com cuidado e rapidamente, despeje o meio de ágar até cobrir a superfície de cada placa, mas pare alguns centímetros antes do topo. Deixe as placas sem tampa para permitir que o ágar evapore e se solidifique. Quando as placas tiverem resfriado e o ágar endurecido, vire-as de cabeça para baixo sobre suas respectivas tampas.

  3. As placas devem ser identificadas com o tipo de ágar, presença de qualquer antibiótico ou suplemento, além da data de fabricação. Isso deve ser escrito no lado da placa, em outras palavras, no fundo. Nada deve ser escrito na tampa, já que ela serve como uma superfície transparente e desobstruída para visualização.

  4. É preferível que se seque as placas ao colocá-las em uma incubadora a 37 °C por algumas horas ou deixadas em uma área externa (como o fluxo laminar) por vários dias. Isso evita que a umidade evaporando da superfície do ágar impeça que qualquer bactéria recém-inoculada grude no meio. As placas devem ser usadas no momento ou armazenadas em suas embalagens originais, no escuro (em um recipiente à prova de luz ou com papel alumínio) e rotuladas da mesma maneira em todas elas. Elas devem ser guardadas a 4 °C e usadas dentro de dois meses de preparação, ou antes de qualquer antibiótico ou suplemento se tornar inativo.

Loading...

O que você precisa

  • 10 g de bacto-triptona
  • 5 g de extrato de levedura
  • 5 g de NaCl
  • 1 mL de 1N NaOH
  • 15 g de ágar ou agarose
  • Suplementos, e.g. antibióticos, galactosídeos
  • Autoclave
  • Vidraria de laboratório
  • Várias placas de petri
  • Fluxo lâminar
  • Bico de Bunsen
  • Autoclave e consumíveis
  • Balanças e consumíveis

Referências

Loading ...
Loading ...