Placenta circunvalada e a restrição ao desenvolvimento fetal

Escrito por johnathan cronk | Traduzido por andré schwarz
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Placenta circunvalada e a restrição ao desenvolvimento fetal
É importante monitorar com ultrassonografias (Thinkstock/Stockbyte/Getty Images)

Durante a gravidez, é necessário assegurar que o feto esteja crescendo e desenvolvendo-se de maneira apropriada. Por meio de ultrassonografias, o médico pode constatar que a placenta e suas membranas não estão crescendo apropriadamente. Diz-se, então, que a placenta é circunvalada e pode fazer com que o bebê nasça com peso diminuto ou prematuro, pois são impostos limites ao seu crescimento intrauterino. É importante diagnosticar o problema o quanto antes e cuidar e monitorar o bebê com análises de rotina e ultrassons.

Outras pessoas estão lendo

Importância

A placenta torna-se circunvalada quando se forma um invólucro membranoso ao seu redor, o que limita seu espaço e a expansão dos vasos sanguíneos fetais. Isso faz a placenta expandir-se para dentro, o que estressa o feto, limita seu crescimento e, por vezes, causa rompimentos um partos emergenciais.

A restrição ao crescimento intrauterino impede que o feto obtenha o tamanho determinado em seus genes, que nascerá com peso reduzidíssimo, constando entre os 10% dos recém-nascidos menos pesados. A placenta circunvalada é um fator que causa essa restrição e, para prover a segurança e o desenvolvimento apropriado do bebê, é importante analisar o histórico médico familiar e agendar exames de rotina.

Identificação

Um anel de membranas grosso, branco, arredondado e opaco se forma ao redor da placenta e, ao terceiro mês de gestação, pode começar a cobrir a parte fetal. Aos leigos, esse anel se parece com uma sacola plástica branca que se forma a partir da parte de baixo da placenta.

Função

A placenta é um órgão que conecta o feto à parede uterina e permite que as excretas orgânicas dele sejam processadas pelos rins da gestante. A circunvalação impede que ele receba as quantidades apropriadas de nutrientes e oxigênio.

Atenção

As gestantes com esse problema têm um alto risco de fazer um parto prematuro ou abortar. Se a placenta continuar se curvando e adentrando o espaço do feto, é possível que ela se desprenda e que uma cesariana seja urgentemente necessária. Se esse rompimento ocorrer antes da 25ª semana de gestação, as chances de acontecer um aborto são bastante altas. São necessários, portanto, realizar exames mensais para fazer ultrassonografias e avaliar o estresse fetal.

Prevenção/solução

É importante cuidar da dieta, que deverá ser saudável em caso de restrições ao crescimento fetal. Embora a placenta forneça apenas poucos nutrientes, é importante que eles sejam saudáveis. Embora não seja possível tratar o problema, na maior parte das vezes as gestantes dão à luz bebês saudáveis que passaram por um período de gestação longo o bastante. No entanto, ainda são gestações de alto risco e devem ser realizados ultrassonografias mensais para monitorar o feto e a placenta. Vitaminas pré-natais são essenciais à futura mamãe e deverão ser tomadas duas vezes por dia.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível