Os planetas de Andrômeda

Escrito por darlena cunha | Traduzido por eduardo dall agnol
Os planetas de Andrômeda
A galáxia de Andrômeda é a galáxia espiral mais próxima à Via Láctea (Comstock/Comstock/Getty Images)

Quando os astrônomos falam sobre Andrômeda, eles podem estar se referindo à duas entidades espaciais diferentes. A primeira é a galáxia, que se encontra a mais de 2,5 anos-luz da Via Láctea, chamada formalmente de Messier 31, mas geralmente conhecida por Galáxia de Andrômeda. É a galáxia que está mais perto da nossa e está se aproximando da Terra a cada ano. Sob circunstâncias normais, seria impossível ver qualquer planeta nesta galáxia por causa da distância de sua Terra, mas em 2009 o campo gravitacional de um objeto mais próximo agiu como uma lente de aumento dirigida à M31, permitindo que os cientistas avistassem um único planeta lá. Esse fenômeno é chamado de micro-lente gravitacional. A outra entidade é chamada formalmente de Ípsilon Andrômeda, uma estrela localizada na Via Láctea. Tanto a galáxia como a estrela ganharam seus nomes por estarem localizadas próximas à constelação de Andrômeda.

Planeta Messier 31

Em 2009, os cientistas anunciaram a descoberta de um planeta singular nas bordas de M31. Quando eles observaram pela primeira vez o planeta em 2004, durante o evento de micro-lente, eles acharam que estavam vendo duas estrelas orbitando-se. Através de estudos e simulações complexas, eles chegaram à conclusão de que o que viram, de fato, foi um planeta gasoso, quase seis vezes maior que Júpiter, orbitando uma estrela maior.

Planeta 1 de Ípsilon Andrômeda

Os astrônomos descobriram o primeiro planeta que orbita Ípsilon Andrômeda em 1996. Ele é o mais próximo de nós dos três planetas e tem pelo menos três quartos da massa de Júpiter. Ele se localiza muito próximo à estrela que orbita e a circula a cada 4,6 dias. Isso é somente 15% da distância de Mercúrio em relação ao Sol. Os cientistas estão confusos e não sabem como um planeta tão grande pode circundar uma estrela com tanta proximidade.

Planeta 2 de Ípsilon Andrômeda

Os cientistas descobriram o planeta intermediário que orbita Ípsilon Andrômeda depois de anos de pesquisa de por que a estrela parecia ter excesso de forças sobre ela. O planeta tem duas vezes a massa de Júpiter e circunda a estrela somente um pouco mais perto do que a Terra em relação ao Sol. Sua órbita demora 242 dias para se realizar, tornando-a similar à distância e ao percurso de Vênus.

Planeta 3 de Ípsilon Andrômeda

O Planeta 3 de Ípsilon Andrômeda foi descoberto na medida em que o segundo planeta não explicava o padrão difuso de movimento da estrela. Os astrônomos estudaram essa estrela oscilante e descobriram, através de simulações complexas, que três grandes planetas gasosos poderiam coexistir em órbitas estáveis ao redor da estrela. Esse planeta mais distante tem uma massa quatro vezes maior que Júpiter e circunda a estrela a cada 3,5 anos. Sua órbita é ovalada. O sistema de três planetas e uma estrela poderia, fazendo-se mais estudos, alterar completamente as teorias científicas sobre como os planetas se formam.