Possíveis complicações após a cirurgia de castração em cães

Escrito por sandra parker | Traduzido por elisa lacerda de freitas
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A castração de um cão é uma das coisas mais importantes que você pode fazer por ele. Ela não apenas inibe hábitos indesejáveis, como a marcação territorial e a agressividade, mas também traz benefícios para a saúde, como a prevenção de câncer testicular e de próstata e a redução de acidentes devido à diminuição do interesse em vagar pelas ruas em busca de uma parceira. A operação é simples e leva cerca de 30 minutos ou menos. Existem algumas complicações em relação à cirurgia em si, sendo que a maioria delas surge durante a recuperação.

Outras pessoas estão lendo

Pneumonia por aspiração

Imediatamente após a cirurgia, o animal ficará em recuperação para que os efeitos da anestesia possam desaparecer e para que a medicação contra dores seja administrada. A principal complicação durante essa fase é possivelmente a pneumonia por aspiração. O cão não pode proteger adequadamente as vias aéreas sob a influência de drogas anestésicas, portanto, quaisquer líquidos, como saliva ou conteúdo do estômago, podem ser acidentalmente inalados para os pulmões, originando uma infecção. Uma equipe treinada deve assistir o cão em recuperação para impedir que isso aconteça. Os animais devem ser monitorados durante até dez dias após a cirurgia para observar se há sinais de pneumonia como letargia, perda de apetite e tosse.

Efeito rebote da anestesia

Outra complicação que às vezes surge na fase de recuperação é aquilo que é conhecido como efeito rebote. À medida que o corpo do cão continua a eliminar as drogas do sistema, pode voltar a um estado anestesiado. É importante que, depois de acordar da anestesia, o cão não consuma alimentos ou água por um período de várias horas para evitar asfixia. Esse fenômeno pode acontecer por até 48 horas após a cirurgia.

Hipotermia

A hipotermia é outra consideração durante o período de recuperação imediatamente após a castração. O cão deve ser mantido sob cobertas e a temperatura deve ser verificada regularmente para evitar essa complicação. Em geral, fontes de calor externas não são necessárias a menos que o cão seja pequeno ou sofra de uma doença subjacente que o impeça de gerar calor suficiente para se manter aquecido. Aqueles que vão para casa no mesmo dia da cirurgia devem ser mantidos do lado de dentro para evitar a hipotermia, mesmo durante os meses de verão.

Infecção

Uma infecção é sempre um risco em qualquer tipo de cirurgia. A probabilidade de desenvolvimento de uma infecção pós-operatória é minimizada pelo fato de a cirurgia ser executada num ambiente esterilizado. A infecção pós-cirúrgica geralmente surge depois que o cão volta para casa e não é devidamente monitorado a fim de evitar que coce ou lamba em excesso o local da incisão. O tratamento com antibióticos por via oral e os cuidados adequados das feridas solucionam as infecções rapidamente.

Outras considerações

Os cães que foram submetidos a castração devem ser mantidos fora da água, logo, não podem tomar banho e nadar durante os próximos dez dias após a operação. Normalmente, não são impostas restrições físicas e muitos cães agem como se nada tivesse acontecido. Os animais devem ser desencorajados a lamber ou coçar o local da incisão. Recomenda-se que os proprietários examinem o local diariamente para verificar se há sinais de infecção ou feridas. Se houver suturas exteriores no cão, devem ser removidas dentro de sete a dez dias.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível