Mais
×

As principais atrações turísticas de Manaus

Reprodução

Introdução

Manaus, no Amazonas, é uma das maiores e mais importantes capitais do Brasil. Situada às margens do Rio Negro, em pleno coração da Floresta Amazônica, é para muitos a porta de entrada para este fabuloso ecossistema. Por isso, não faltam atrações naturais para quem quiser conhecer a mata e seus animais, árvores e moradores, sempre com a preocupação de proteger o meio ambiente. Mas também há muitas outras atrações, bem mais urbanas, para os turistas. Bela, rústica e cheia de cores, cheiros e sons, esta cidade tem tudo para cativar. Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos e divirta-se a valer.

Reprodução

Teatro Amazonas

No final do século XIX e início do século XX, Manaus era uma cidade próspera, graças à riqueza proporcionada pela borracha. Todo o dinheiro que circulava ali começou a ser canalizado para grandes obras que pudessem atender à nova aristocracia local. O ponto culminante deste processo foi a construção do imponente Teatro Amazonas. As obras tiveram início em 1884 e foram concluídas em 1896. Com capacidade para 700 pessoas, o local impressiona pela beleza. O teto, em forma de abóbada, conta com quatro telas pintadas em Paris pela prestigiosa Casa Carpezot, retratando a música, dança e o teatro, além de uma homenagem a Carlos Gomes, notável compositor brasileiro autor de “O Guarani”.

Wikimedia

Arquipélago das Anavilhanas

Situado no Rio Negro, o Arquipélago das Anavilhanas é formado por 400 ilhas e integra um parque nacional, que estende por Manaus e mais dois municípios vizinhos: Iranduba e Novo Airão. Criado como estação ecológica em 1981, possui uma área de 350 mil hectares e é totalmente coberto por floresta virgem. Com as águas em elevação, o local se torna um verdadeiro labirinto florestal. Entre setembro e fevereiro, com a redução no nível fluvial, surgem muitas praias de areia branca e mangues, onde emergem as raízes e troncos submersos de muitas árvores. Há pousadas nos arredores do parque, mas é possível visitá-lo por via aérea.

Mariordo

Encontro das águas

Um dos maiores espetáculos naturais do mundo é o encontro dos rios Negro e Solimões. O primeiro possui água escura, enquanto no outro ela é barrenta. Por longos seis quilômetros, eles correm lado a lado, sem se misturarem. Isso é possível devido à diferença de temperatura e pressão entre os dois cursos. O fenômeno pode ser visto até mesmo por satélite, já que os dois rios possuem grande largura no trecho em que se encontram. Mas quem quiser ver de perto pode fazê-lo: há vários passeios de barco para chegar ao ponto de convergência, saindo de Manaus. É possível inclusive encontrar botos pelo caminho.

Reprodução

Mercado Municipal Adolpho Lisboa

Outra das construções surgidas durante o rico ciclo da borracha, o Mercado Municipal Adolpho Lisboa foi inaugurado em 1883. Situado às margens do rio Negro, o local sofreu uma grande ampliação anos depois, o que acabou resultando na mistura de várias tendências arquitetônicas. Mesmo assim, o prédio conseguiu manter sua harmonia visual. É um dos principais pontos de visita dos turistas, já que ali são vendidos os produtos típicos da região, como peixes, frutas e sementes, além de chás e remédios feitos a partir das plantas existentes na Amazônia. Também chama a atenção o grande relógio montado sobre a fachada principal.

Reprodução

Museu do Seringal Vila Paraíso

Localizado na zona rural de Manaus, o Museu do Seringal é acessível somente por barco, em um passeio de meia hora. Mas vale muito a pena: ele reproduz com fidelidade a vida na região nos tempos áureos do Ciclo da Borracha, apresentando móveis, roupas e utensílios utilizados na época. Ali é possível saber como era a rotina dos homens que trabalhavam nos seringais, bem como a de suas famílias. Os destaques são a casa do seringueiro, o barracão de aviamento e a Capela de Nossa Senhora da Conceição. Há visitas guiadas, voltadas não só para estudantes e pesquisadores, mas também para turistas e visitantes de um modo geral.

Reprodução

Parque Ecológico Janauary

Apenas 45 minutos de barco separam Manaus do Parque Ecológico de Janauary. Localizado no rio Negro, ele é de fácil acesso aos turistas, que têm a oportunidade de contemplar seu espetacular ecossistema. Ao todo, são 9 mil hectares de mangues, igarapés, várzeas e mata em terra firme. Um dos maiores símbolos da Amazônia e do Brasil, a belíssima flor Vitória Régia pode ser encontrada em lagos. Quem se interessa por lembranças dos locais de viagem também podem adquirir o artesanato produzido pelos ribeirinhos. As agências de turismo que realizam o passeio também incluem um almoço em um barco-restaurante, com pratos da culinária regional.

Reprodução

Palacete Provincial

Mais uma bela herança do Ciclo da Borracha, o Palacete Provincial foi inaugurado em 1875 e abrigou o governo local, além da Assembleia da Província do Amazonas, bem como a Biblioteca Pública e o Liceu. Após servir como quartel da polícia, passou a integrar os imóveis da Secretaria Estadual de Cultura. O prédio foi restaurado para abrigar vários museus, como o de Numismática e da Imagem e do Som, além da Pinacoteca do Estado. O edifício funciona de terça a domingo e atrai os visitantes pela sua beleza arquitetônica. O prédio foi tombado em 1980, assim como a Praça Heliodoro Balbi, onde está situado.

Suframa/Divulgação

Zona Franca

Criada em 1967 como forma de intensificar o desenvolvimento econômico na Amazônia, a Zona Franca de Manaus é um grande polo industrial, que reúne mais de 600 fábricas, especialmente de eletroeletrônicos e motos, fabricados com isenções fiscais. O local vem se tornando um ponto atrativo de compras. Equipamentos de foto, áudio e vídeo e informática estão entre os produtos mais procurados. Desde a criação do Armazém Alfandegário, o local se tornou ainda mais interessante, convertendo-se em um dos maiores entrepostos aduaneiros da América Latina e também passando a receber produtos importados. Alguns espaços também são dedicados para a venda de artesanato local.

Inpa

Bosque da Ciência

Administrado pelo Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), o Bosque da Ciência foi criado em 1995. A abertura fez parte das celebrações dos 40 anos do órgão, que finalmente poderia mostrar ao público os frutos de seu trabalho. Ocupa uma área de 13 hectares, no perímetro urbano de Manaus, apresentando a riquíssima e variada biodiversidade do Amazonas. Há trilhas educativas, lago amazônico e um interessante viveiro de jacarés, onde são encontradas três espécies diferentes. A Casa da Ciência é a instalação mais antiga e apresenta pesquisas, programas e projetos realizados em todo o parque. O conteúdo é apresentado de forma lúdica e também moderna, com totens multimídia e recursos avançados.

Prefeitura de Manaus/Divulgação

Praia da Ponta Negra

Trata-se de uma praia fluvial, obviamente. Afinal de contas, estamos em uma cidade às margens do rio Negro e bem longe do mar. No entanto, as opções de lazer são semelhantes. Com ótima infraestrutura, é um dos principais pontos turísticos e de encontro em Manaus. Há um palco para manifestações artísticas, inclusive com apresentações de artistas internacionais. Os esportistas encontrarão vários equipamentos para a prática de suas modalidades preferidas. Mas quem quiser apenas pegar um bronzeado pode simplesmente repousar em suas areias brancas e finas e curtir a água morna. Há ainda estacionamento e restaurantes com comidas típicas no local.