Mais
×

Principais ONGs brasileiras

Organizações Não Governamentais (ONGs) são entidades criadas com o objetivo de suprir demandas que não são absorvidas pelo poder público. Seja na preservação ambiental ou na proteção de pessoas carentes, essas fundações se tornaram fundamentais para reduzir as injustiças em todo o mundo. No Brasil, elas começaram a ganhar força a partir dos anos 1990 e têm sido muito úteis em diversas ações sociais. Não raramente, elas acabam levando um amparo ainda maior do que o oferecido pelo poder público em algumas regiões brasileiras. Conheça algumas das mais importantes ONGs brasileiras.

Algumas entidades realizam importantes trabalhos educacionais (Jetta Productions/Digital Vision/Getty Images)

Saúde Criança

Fundada em 1991, pela Dra. Vera Cordeiro, o Saúde Criança é talvez a mais bem-sucedida organização não governamental do país. Foi incluída no ranking das 100 melhores ONGs do mundo, elaborada pela “Global Journal”, atingindo a 38ª posição. Seu principal trabalho é a reestruturação de famílias cujas crianças enfrentem risco social. A entidade conta com uma equipe multidisciplinar, que investe em cinco áreas: Saúde, Cidadania, Educação, Moradia e Profissionalização. Possui 11 unidades espalhadas em todo o país, além de um escritório em Nova York (EUA).

S.O.S Mata Atlântica

Mais importante entidade ambiental do país, ela é uma das mais antigas ONGs em atividade no território brasileiro. Fundada em 1986, investem em diversas ações para conter o desmatamento da Mata Atlântica, vegetação que cobria a maior parte da faixa litorânea do país. Seus projetos ganharam ampla repercussão e serviram de modelo para ações de preservação em outros ecossistemas, como o Pantanal e a Floresta Amazônica. Sua atuação junto a órgãos públicos resultou na aprovação de diversas leis ambientais. Um bom exemplo é o Observatório Parlamentar Socioambiental, no qual tem voz ativa.

Viva Rio

De extrema importância na luta pelos direitos humanos, a Viva Rio busca a inclusão social das comunidades carentes. Foi fundada em dezembro de 1993, como uma resposta à constante onda de violência no Rio de Janeiro. A entidade criou várias unidades para qualificar profissionalmente os jovens carentes, além de levar cultura e entretenimento com palestras e ações diversas. Um dos destaques é o Viva Favela, uma oficina de jornalismo que visa à inclusão digital. A ONG também levou seu trabalho ao Haiti, país convulsionado pela violência. Também foi citada no ranking da “Global Journal’, atingindo a 48ª posição.

Center for Digital Inclusion

Outra entidade brasileira listada entre as 100 melhores ONGs do mundo, a Center for Digital Inclusion aparece na 55ª colocação. Existente em dez países, atua no Brasil desde 1995 e já criou 715 Espaços de Inclusão Digital, beneficiando diretamente mais de 45 mil pessoas. Ao todo, 1.890 pessoas atuam como educadores e coordenadores da ação. Além de levarem as maravilhas da tecnologia para crianças carentes, também atuam na capacitação de professores, atuando em escolas públicas, especialmente em regiões de alta vulnerabilidade social.

Fundação Abrinq

Criada em 1990, pelo empresário Oded Grajew, tem como principal objetivo atuar na proteção e no desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Possui três escritórios, em São Paulo (SP), Recife (PE) e Petrolina (PE), e realiza programas ancorados em quatro eixos: educação, emergência, proteção e saúde. Ao todo, mais de 7 milhões de crianças já foram beneficiadas, com projetos de artes plásticas, música, teatro e cinema, além de educação básica. A Fundação Abrinq também criou prêmios para entidades públicas e privadas que auxiliam os jovens, como o projeto “Prefeito Amigo da Criança”.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article