Problemas associados à castração em fêmeas

Escrito por emilia lamberto | Traduzido por victor dajas
Problemas associados à castração em fêmeas
Castrar uma gata acaba com os seus cios, mas gera comportamentos indesejáveis (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

A castração em fêmeas é o processo da remoção dos órgãos reprodutivos - os ovários - para interromper os ciclos de cio e evitar uma gravidez. Por conta do dilema de haver uma superpopulação de animais de estimação, a maioria dos veterinários e canis recomenda que você castre o seu animal de estimação com seis meses de idade. Os riscos associados a esse procedimento raramente são discutidos com os donos, embora seja importante conhecê-los antes de tomar qualquer decisão.

Problemas de saúde

Os riscos de saúde associados à castração do seu animal dependem de vários fatores, incluindo a espécie, a raça e a idade. A castração de uma cadela, por exemplo, potencializa o risco de osteossarcoma ou câncer do osso, assim como hemangiossarcoma esplênico e hemangiossarcoma cardíaco, ambos cânceres comuns em cães. Outras complicações incluem infecções no trato urinário, dermatite vaginal, problemas ortopédicos e reações negativas a vacinas são mais comuns após a cirurgia. Por último, a chance de contrair hipotiroidismo é aumentada em três vezes e a de tumores do trato urinário, em duas vezes.

Problemas comportamentais

As cadelas que já eram agressivas antes da castração podem ter essa tendência potencializada após a cirurgia, quando a produção de progesterona cessa. A progesterona é um hormônio natural do corpo que incentiva o comportamento calmo.

Após a castração, uma gata pode querer ficar sozinha e não socializar por um a três dias após a cirurgia. Felinos também podem se tornar agressivos, exibindo comportamentos como rosnados, chiados, arranhões e mordidas. Se esse comportamento permanecer três dias após a cirurgia, contate o seu veterinário.

Complicações cirúrgicas

Qualquer tipo de cirurgia é capaz de causar complicações menores. Durante a cirurgia, o animal pode ter uma reação adversa à anestesia. Inflamações, infecções e hemorragias são algumas das complicações mais comuns. De acordo com a instituição National Animal Interest Alliance, um estudo de práticas veterinárias canadenses relatou que há complicações pós-cirúrgicas em 22% dos casos de castração em cadelas.

Em felinos, a dor é comum após a cirurgia. Os gatos podem respirar com dificuldade, apresentar tremores e ter dificuldades para sentar corretamente. Inchaços no local da incisão também são comuns.

Hérnias, tanto casos leves, como graves, pode aparecer após a cirurgia. Em casos raros, a cirurgia de castração pode falhar completamente e precisar ser refeita.

Complicações severas

Problemas pós-cirúrgicos graves incluem infecções, abscessos, ruptura da ferida ou suturas que caem ou são arrancadas pelo animal. De acordo com a National Animal Interest Alliance, entre 1 e 4% dos animais castrados têm complicações e a taxa de mortalidade é relativamente baixa, por volta de 0,1%.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível