Problemas neurológicos causados pelo transtorno bipolar

Escrito por sandra l. campbell Google | Traduzido por marcos vinicios de araújo barros
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Problemas neurológicos causados pelo transtorno bipolar
Questões neurológicas ligadas ao transtorno bipolar (Image by Flickr.com, courtesy of Andrew Mason)

Cerca de dois milhões de cidadãos norte-americanos sofrem de transtorno bipolar. De acordo com um artigo do New York Times, intitulado “Bipolar Risk Factors” (Fatores de risco do transtorno bipolar), suspeita-se que 4% da população já teve algum tipo de transtorno bipolar ao longo da vida. As pessoas com esse tipo de transtorno podem sofrer complicações médicas e neurológicas que podem complicar o processo de controle de sua recuperação.

Outras pessoas estão lendo

Ritmo circadiano

O ritmo circadiano regula os padrões do nosso relógio biológico como a hora de levantar, dormir, comer, etc. Nos pacientes bipolares, esses padrões podem ser interrompidos devido a anormalidades na melatonina. Quando o ritmo circadiano natural fica desequilibrado, esses pacientes podem enfrentar mudanças bruscas de humor e ter depressão.

Anormalidades das amígdalas

As amígdalas são estruturas em forma de amêndoa que ficam no interior do cérebro. Elas regulam os comportamentos automáticos como os movimentos físicos. Estudos mostram que as amígdalas são estruturalmente diferentes em pacientes bipolares. Se elas não estiverem funcionando corretamente podem produzir comportamentos obsessivos. Por causa desse fenômeno, as pessoas com transtorno bipolar apresentam taxas elevadas de diagnósticos com a síndrome de Tourette.

Transtornos convulsivos

Os pacientes com transtorno bipolar também são mais propensos a serem diagnosticados com distúrbios convulsivos, devido a desequilíbrios neurológicos no cérebro. Por essa razão, a epilepsia geralmente é diagnosticada em pessoas com transtorno bipolar.

Tratamento

Um neurologista pode detectar desequilíbrios neurológicos em pacientes bipolares com exames de ressonância magnética ou por meio de um eletroencefalograma. Os anticonvulsivantes como o Depakote são medicamentos eficazes para doenças neurológicas que causam convulsões em pacientes bipolares.

Considerações finais

É importante que as doses dos medicamentos dos pacientes bipolares sejam vistoriadas pelo psiquiatra que prescreveu os remédios regularmente. As quantidades inadequadas dos medicamentos ou dosagens de um estabilizador de humor (por exemplo, carbonato de lítio) podem provocar efeitos colaterais indesejados como toxicidade ou hipotireoidismo (tireoide pouco ativa).

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível