Problemas nos ovários depois da menopausa

Escrito por sarah densmore | Traduzido por jessica lopes bonifacio
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Problemas nos ovários depois da menopausa
Mesmo após a menopausa, a mulher ainda tem que estar atenta à sua saúde (Photos.com/PhotoObjects.net/Getty Images)

Os dolorosos cistos nos ovários, também causadores da infertilidade, que podem ser um tanto problemáticos para as mulheres durante seus anos menstruais muitas vezes desaparecem após a menopausa. Embora os ovários essencialmente encerrem a produção de óvulos e hormônios, qualquer mulher de mais idade que não tenha tido seus ovários removidos tem que saber que ainda está em risco para problemas ovarianos.

Outras pessoas estão lendo

Câncer

Segundo a Sociedade Americana do Câncer, o câncer de ovário representa 3% de todos os cânceres em mulheres. Esta é uma doença pós-menopausa, metade de todas as mulheres que a desenvolvem têm mais de 60 anos. Um pouco menos de metade das mulheres diagnosticadas com a doença ainda estão vivas cinco anos depois.

Sintomas

O câncer de ovário costumava ser chamado de "o assassino silencioso", porque as mulheres muitas vezes não apresentam sintomas até que a doença tenha se espalhado. Aquelas que têm sintomas muitas vezes os descrevem como sendo tão vagos que eles são negligenciados ou achavam que eram causados por alguma outra doença menos grave. Essas dificuldades incluem: • inchaço, dor ou pressão abdominal • micção frequente • sentir-se cheio depois de comer apenas uma pequena quantidade de alimentos • fadiga • prisão de ventre • dor nas costas • dor durante o sexo

Vários procedimentos são utilizados para fazer um diagnóstico definitivo: o exame pélvico, ultrassonografia ou tomografia computadorizada e uma laparotomia ou laparoscopia (procedimento cirúrgico para remover um ovário ou algum tecido ovariano para biópsia). Duas técnicas bastante novas concebidas para diagnosticar câncer de ovário previamente — ultrassonografia transvaginal e o exame de sangue CA-125 — não provaram ser ferramentas úteis no diagnóstico precoce.

Considerações

O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas concluiu que as mulheres na pós-menopausa em reposição hormonal não devem se preocupar que a terapia aumente o risco de câncer de ovário.

SOP

A síndrome do ovário policístico (SOP) é ​​uma condição em que muitos cistos cheios de fluidos formam-se nos ovários de uma mulher. É uma condição bastante comum, afetando 1 em cada 10 mulheres em idade fértil.

Mesmo que os ovários de uma mulher após a menopausa não estejam funcionando, o Centro de Saúde Nacional da Mulher dos EUA atenta que as mulheres que tinham SOP durante seus anos reprodutivos ainda podem ter problemas após a menopausa: "muitos sintomas persistem apesar da função ovariana e níveis de hormônios mudarem quando uma mulher se aproxima da menopausa. Por exemplo, ainda existe o crescimento excessivo de pelos, e a calvície ou queda de cabelo podem ficar ainda pior após a menopausa. Além disso, os riscos de complicações da SOP, como ataque cardíaco, derrame e diabetes, aumentam à medida que a mulher envelhece".

Cistos Uniloculares

Este tipo de cisto pode se formar nos ovários de uma mulher pós-menopausa, mas raramente é maligno, de acordo com um estudo de 15.000 mulheres que foi apresentado à Sociedade de Oncologistas Ginecológicos. Os cistos uniloculares são simples cistos que possuem apenas uma cavidade ou compartimento.

Como eles normalmente não são problemáticos, podem ser monitorados através de ultrassonografias. Os cistos não precisam ser removidos, a menos que eles sejam dolorosos. O estudo descobriu que 70% destes cistos acabou indo embora por conta própria.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível