O processo de acasalamento do cavalo

Escrito por charmaine jens | Traduzido por rodrigo salles correa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O processo de acasalamento do cavalo
O acasalamento é vantajoso quando a égua e o garanhão estão saudáveis (Matt Cardy/Getty Images News/Getty Images)

Apesar de cavalos acasalarem naturalmente por conta própria, criadores trazem uma fêmea especifica sexualmente intacta, ou égua, e um macho, ou garanhão, juntos para produzir um potro com atributos pré-determinados. Seja o acasalamento de cavalos enquanto pastam ou assistido, o processo é o mesmo. Criadores acasalam seus cavalos por uma variedade de razões, como preservação da linhagem e produção de potros com características desejáveis ou habilidades esportivas.

Outras pessoas estão lendo

Acasalamento natural

O acasalamento natural remove a seleção da égua e do garanhão pelo criador, mas tem vantagens do ponto de vista da segurança. O processo de acasalamento pode ser difícil ou até mesmo violento, dependendo dos modos do garanhão e da recepção da égua aos seus avanços. O acasalamento natural pode ser mais indicado para criadores sem experiência nesse tipo de processo.

Preparação para acasalamento assistido

A égua e o garanhão podem ser testados para compatibilidade antes de iniciarem o processo de acasalamento assistido, para aumentar a probabilidade de a égua não rejeitar o garanhão e que ele se comporte de maneira adequada. No acasalamento assistido, a égua e o garanhão devem ter seus genitais lavados com água morna para garantir que sujeira e esmegma não sejam introduzidos durante a reprodução ou que não haja obstáculo para o sucesso da fertilização. O rabo da égua pode ser embrulhado em um saco plástico, com o final amarrado com fita adesiva, para que não atrapalhe. Pelo menos dois manipuladores experientes devem ajudar no processo de acasalamento, sendo um para segurar a égua e o outra para cuidar do garanhão. Ambos devem usar capacetes protetores de equitação. O garanhão deve ser protegido em um área separada enquanto égua é trazida para o curral. O macho não deve seguir a fêmea para a área de acasalamento, pois poderá criar uma situação perigosa caso ele fique impaciente.

Processo de acasalamento assistido

Enquanto o manipulador estabiliza a égua no curral, o garanhão deve ser trazido vagarosamente. Ele provavelmente estará impaciente e ansioso. Seu cuidador deve permanecer calmo e não tolerar nenhum comportamento inadequado. Se o garanhão sentir fraqueza de seu manipulador, ele pode dominá-lo uma vez que eles cheguem no curral. O macho deve se aproximar da égua diagonalmente pela traseira, para roçar em sua área genital durante vários minutos. Quando ambos estiverem prontos e relativamente calmos, o garanhão pode montar na fêmea por trás. O manipulador deve manter o controle sobre o macho em todo momento para garantir que a égua não se machuque durante o processo. Pode ser necessário que o manipulador coloque o pênis do garanhão dentro da égua. O animal irá repousar pesadamente nas costas da fêmea, mas não irá empurrar. É de extrema importância que o responsável pela égua a impeça de se mover enquanto o garanhão ejacula. O processo leva apenas alguns minutos até que o macho gema e desmonte. Enquanto ele é levado de volta para sua baia, a égua deve ser levada para caminhar por alguns minutos até que o sêmen se fixe.

Temporada de acasalamento equino

No acasalamento assistido, o acasalador deve ter certeza que a égua está no cio. No Brasil, as éguas estão tipicamento no cio entre outubro e dezembro.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível