Processo de estanhagem eletrolítica

Escrito por neal litherland | Traduzido por márcia r.m.z.c.
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A estanhagem eletrolítica é um método de galvanoplastia, que por sua vez trata-se de um processo que cria uma reação química de precipitação de um fino revestimento de metal sobre uma base de outro metal. No caso da estanhagem eletrolítica, o metal base costuma ser o ferro e para a cobertura o estanho. Esse processo possui mais de 200 anos de idade mas, com o tempo, vem sendo aprimorado a fim de que a galvanoplastia venha a ser considerada uma ciência exata, e não apenas uma forma de arte.

Outras pessoas estão lendo

Preparação

O metal base precisa ser cuidadosamente preparado. Isso significa que ele deve ser lavado e lixado até que não reste qualquer impureza antes do início da estanhagem. O banho eletrolítico é preparado com uma grande concentração de íons positivos de estanho flutuando em seu meio. Eletrodos são mergulhados no banho para fornecer a carga elétrica quando o processo de estanhagem estiver pronto para ser iniciado. Uma vez que toda a limpeza e lixamento estiver completa, uma carga negativa é aplicada ao metal base e ele é imerso no banho de estanho.

Reação

Como o metal base está carregado negativamente e os íons de estanho possuem cargas positivas, os dois serão atraídos magneticamente de modo recíproco. Os íons de estanho se fixarão na superfície do metal base e, no instante em que os dois entrarem em contato, íons reverterão seu estado metálico e se unirão ao metal. Conforme mais íons de estanho aderem à superfície do metal base, forma-se ao redor dele um revestimento que ganha espessura proporcionalmente a quantidade de tempo que o metal permanecer imerso. Quando este é removido do banho de estanho o processo eletrolítico chega ao final.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível