Produção de oxigênio durante a fotossíntese

Escrito por jim jansen | Traduzido por mariana mello de souza
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Produção de oxigênio durante a fotossíntese
Plantas mantêm o equilíbrio do oxigênio na atmosfera (bäume, bäume image by Herbie from Fotolia.com)

O balanço de oxigênio na atmosfera da Terra é vital para quase todos os organismos. O processo fotossintético das plantas colabora muito para esse equilíbrio. O oxigênio liberado pela respiração dos animais é produzido através do dióxido de carbono que liberamos enquanto respiramos. Sem este processo dependente da luz, o oxigênio não seria tão abundante como é.

Outras pessoas estão lendo

Fotossíntese

Plantas, algas e algumas bactérias fazem uso da fotossíntese para converter a energia da luz e o dióxido de carbono (CO2) em carboidrato de glicose (C6H1206) e oxigênio (O2). Este processo é representado através da equação química: ENERGIA + 6H20 + 6C02 -> C6H1206 + 602. Invertida, esta reação representa a respiração das plantas e animais ao converter oxigênio e hidrato de carbono em dióxido de carbono e energia.

Estômatos

Pequenos poros na parte de baixo das folhas, denominados estomas, são o ponto das plantas de onde os elementos da fotossíntese são adquiridos e liberados. Quando os poros se abrem, eles permitem que a luz e o dióxido de carbono entrem nas células das plantas. Em organelas chamadas cloroplastos, elas reagem com a água já existente nas plantas, para a produção de hidratos de carbono e oxigênio, que são liberados na atmosfera quando os estômatos se abrem, permitindo a entrada de mais luz e dióxido de carbono nas plantas.

Oxigênio

Na fotossíntese, o oxigênio é produzido como um subproduto. Seu principal objetivo no processo é de auxiliar na redução de dióxido de carbono nas plantas, formando hidratos de carbono. A água é necessária para os átomos de hidrogênio. As moléculas de água são oxidadas e se separam do hidrogênio. As moléculas do oxigênio são ligadas em pares, formando o gás oxigênio.

Locais com pouco oxigênio

Alguns locais aquáticos têm uma baixa disponibilidade de luz, o que reduz a quantidade de oxigênio produzida pela fotossíntese. A luz baixa não apenas limita a velocidade da fotossíntese e produção do oxigênio no ecossistema, como também diminui a taxa de difusão do oxigênio, e o movimento na água é menor do que no ar. Locais onde os níveis de oxigênio são baixos ou inexistentes são chamados de locais anaeróbicos ou anóxicos. Estes locais são escuros, o que impede a luz de penetrar na superfície da água. Plantas terrestres que necessitam de oxigênio para respirar e que estão enraizadas em locais anóxicos, como pântanos, contêm tecidos especiais que transportam oxigênio por toda a planta, a partir de extensões verticais, como as das árvores ciprestes e de mangues, que crescem fora da água e são privadas da luz.

História

Antes da década de 1940, não se tinha conhecimento que as moléculas de oxigênio em forma de gás, produzidas durante a fotossíntese, vieram do dióxido de carbono ou da água. Samuel Ruben, entre outros na UC Berkeley, descobriu a resposta usando um isótopo mais pesado do oxigênio encontrado no gás natural. Este isótopo usado foi o de oxigênio 18. Substituindo o isótopo normal, oxigênio 16 para um dos dois reagentes oxigenados, os pesquisadores determinaram se o isótopo natural ou o isótopo pesado foram representados no gás de oxigênio. Eles determinaram que a água, diferente do dióxido de carbono, é obtêm seu gás oxigênio das moléculas de oxigênio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível