Propriedades bioquímicas da enterobactéria

Escrito por douglas bintzler | Traduzido por mariana pelicano
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Propriedades bioquímicas da enterobactéria
Enterobactérias são espécies de bactérias que vivem nos intestinos (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Bactérias são tipicamente classificadas entre as que requerem oxigênio (respiração aeróbica) e as que crescem sem oxigênio (respiração anaeróbica). A necessidade do oxigênio depende de qual meio metabólico a bactéria usa para converter açúcar em trifosfato de adenosina, ATP, uma forma utilizável de energia. Algumas bactérias são, obrigatoriamente, ou aeróbicas ou anaeróbicas e são limitadas a apenas uma forma de metabolismo. No entanto, as espécies de enterobactérias são facultativamente anaeróbicas e vivem em presença ou ausência de oxigênio. Em presença de oxigênio, as espécies de enterobactérias são capazes de mudar o tipo de metabolismo para energia metabolizável. Os processos bioquímicos que as bactérias usam em seu metabolismo energético são úteis para a identificação das espécies de bactérias em laboratório.

Outras pessoas estão lendo

Formas comuns de enterobactéria

Enterobacter cloacae, ou E. cloacae e E. aerogenes são duas das espécies mais comuns de enterobactéria. A E. cloacae é considerada um patogênico oportunista. Ela normalmente vive em intestinos de animais, comensalmente auxiliando no processo de digestão. Como a E. cloacae, a E. aerogenes não é normalmente considerada uma espécie patogênica, contanto que continue no habitat intestinal. No entanto, uma vez que a enterobactéria encontra uma rota para a circulação sanguínea, pode causar infecção, febre alta e mal-estar. Antibióticos são o método mais utilizado de tratamento. Espécies de enterobactérias são encontradas em diferentes habitats, incluindo solo e água.

Processo bioquímico de respiração da enterobactéria

A respiração requer oxigênio para metabolizar a glicose e formar ATP. Animais, protozoários e bactérias são todos formas de vida capazes de realizar respiração. O processo é complexo. Requer energia em forma de glicose para ser quebrada onde a energia é armazenada quimicamente, adicionando um grupo fosfato ao difosfato de adenosina, para formar ATP. O ciclo começa com um açúcar de seis carbonos e termina com a formação de 38 moléculas de ATP. A presença do oxigênio é necessária, pois o oxigênio aceita as moléculas de hidrogênio restantes e forma água.

Processo bioquímico de respiração anaeróbica

A fermentação é um processo bioquímico onde um açúcar de seis carbonos é quebrado para formar ATP na ausência de oxigênio. O produto final é a formação de duas moléculas de ATP a partir do ADP, dióxido de carbono e etanol. No entanto, a respiração anaeróbica não produz tanto ATP como a aeróbica. Na presença de oxigênio, as células de enterobactérias são capazes de produzir 38 ATP, enquanto apenas duas são o resultado da respiração anaeróbica.

Fixação de nitrogênio é um importante processo bioquímico

Espécies de enterobactérias que vivem no solo são capazes de um processo bioquímico utilizando nitrogênio. A fixação de nitrogênio é um importante processo bioquímico, pois converte o nitrogênio do ar em formas utilizáveis pelas plantas. O nitrogênio atmosférico é absorvido através da membrana celular da bactéria e convertido em amônia antes de ser devolvido ao solo. Legumes formaram uma associação de comensalismo com a bactérias fixadora de nitrogênio, uma razão pela qual o feijão é cultivado para restaurar o nitrogênio em solos deficientes.

A bioquímica da identificação

Os processos bioquímicos que as bactérias apresentam são frequentemente utilizados para propósitos de identificação. O primeiro passo para identificar uma bactéria é cultivar células em um placa contendo um meio de cultura. Células bacterianas crescem rapidamente e aparecem como manchas, ou colônias, na placa. Diferentes espécies crescem em colônias de tamanhos e cores específicos. O metabolismo da glicose produz ácido e gás como resíduos em espécies de enterobactérias. A produção desses resíduos é facilmente detectada quando o meio contém indicadores de pH e bolhas são observadas. Enterobactérias são também capazes de realizar fermentação e crescem em diferentes meios de cultura. A identificação é um passo importante no tratamento de sangue e outras infecções por enterobactérias. O tratamento com o antibiótico correto é necessário para parar a infecção.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível