Pseudoefedrina para incontinência canina

Escrito por mildred millhouse | Traduzido por edeburges maria mello de souza edeburges
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Pseudoefedrina para incontinência canina
Um cão amigável (dog image by Mat Hayward from Fotolia.com)

Incontinência canina é uma condição de gotejamento involuntário da urina que algumas vezes acontece em cães. Problemas urinários comportamentais, como micção submissa, a marcação de território e perda da formação caseira devido à senilidade, podem fazer com que o cão urine em casa. No entanto, isso não deve ser confundido com incontinência, uma vez que é voluntário. Em alguns casos, a incontinência canina é tratada com pseudoefedrina, um descongestionante humano comum.

Outras pessoas estão lendo

Causas da incontinência

A incontinência em cães pode ser causada por diversos problemas. Nas fêmeas, suas causas comuns são infecções do trato urinário, que podem ser facilmente diagnosticadas por meio de uma análise de urina e cultura, e um fraco esfíncter da bexiga. Ingerir água em excesso e doenças na medula espinhal também podem causar esse problema em cães de ambos os sexos.

O tratamento com pseudoefedrina

A pseudoefedrina, o descongestionante encontrado no Sudafed, por vezes é prescrita como um tratamento alternativo, nos casos de incontinência provocada por um fraco esfincter da bexiga. A medicação habitual é de fenilpropanolamina, que pode ser combinada com tratamento hormonal, especialmente em casos resistentes. A pseudoefedrina também pode ser combinada com outros fármacos para tratar a incontinência.

Mecanismo de ação

A pseudoefedrina, como fenilpropanolamina, é um agonista alfa-adrenérgico. Esse tipo de medicamento age através do aumento da liberação de neurotransmissores químicos que afetam os receptores em cima dos nervos do esfincter da bexiga, resultando em um aumento na tonalidade do seu músculo, reduzindo o vazamento.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais do uso de pseudoefedrina em cães podem incluir hiperexcitabilidade, um animal ofegante e inquietação. Esse remédio demostrou ter uma maior probabilidade de causar efeitos adversos do que a fenilpropanolamina.

Tratamentos alternativos

Em casos de incontinência que não melhoram com o tratamento hormonal e/ou agonistas alfa-adrenérgicos, como pseudoefedrina, os anticolinérgicos podem ser prescritos. Estes remédios relaxam os músculos da bexiga, aumentando a sua capacidade de retenção. O hormônio que libera gonadotrofinas (GnRH), cirurgia e injeção de colágeno na uretra são outros tratamentos alternativos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível