Quais as características que os geólogos procuram ao examinarem uma amostra de rocha?

Escrito por chris stevenson | Traduzido por josé moreira
Quais as características que os geólogos procuram ao examinarem uma amostra de rocha?
O asfalto driveway vem de rochas naturais que foram pulverizadas (Stewart Cohen/Lifesize/Getty Images)

Os geólogos têm muitos campos de estudo, dependendo do trabalho que desempenham. Alguns deles trabalham para empresas ambientais, outros coletam e estudam rochas e minerais para laboratórios de ciências e outros ainda trabalham para agências de proteção ambiental. Muitos, ainda, são contratados por grandes empresas produtoras de petróleo e gás. Se um geólogo trabalha no campo, ele provavelmente coleta amostras de rochas e minerais para a avaliação e estudo. Os geólogos procuram as características básicas das rochas que identifiquem a sua composição estrutural e mineral, idade e origem.

Cor

Os geólogos fazem determinações instantâneas a partir da visualização da cor ou tonalidade de uma rocha, uma vez que elas contêm produtos químicos e minerais. Algumas rochas têm cores óbvias, como o arenito, que pode variar de quase branco a castanho escuro. O magma geralmente tem a aparência muito escura, enquanto a obsidiana tem o aspecto de vidro preto, o que indica uma origem vulcânica. A rocha composta de enxofre apresenta coloração que varia de amarelo claro ao escuro. Já a rocha de cobre tem a aparência esverdeada. Grandes quantidades de ferrugem na superfície e a coloração marrom avermelhada indica uma rocha à base de ferro, tal como a hematita.

Forma dos grãos

Os geólogos observam a forma dos grãos para determinar a história das intempéries da rocha. Usando uma lente de aumento, eles podem determinar se a rocha se fragmentou recentemente por uma ruptura angular afiada -- grãos angulares indicam que a rocha tem estado relativamente estática. Os cientistas classificam os grãos de acordo com a circularidade, o que significa que se suas bordas forem suaves e arredondadas, as rochas têm estado por aí por um longo tempo e têm sido transportadas pelo vento e influências glaciais e hídricas. Um geólogo sabe que um grão de rocha arredondado pode ter percorrido longas distâncias e se submetido a forças muito abrasivas. Os geólogos classificam os grãos em angulares, médios ou arredondados.

Dimensão do grão

O tamanho do grão pode ser grande ou pequeno e indica ao geólogo sobre a força ou a energia que foi necessária para movê-lo. Quanto maior o tamanho do grão, maior a dificuldade para movê-lo pela ação de um fluxo ou inundação. O geólogo sabe que as rochas pesadas, arredondadas e lisas sofreram a ação da gravidade e forças hídricas, ao passo que as rochas angulares e de grãos pequenos não se moveram e nem foram desgastadas significativamente.

As rochas ígneas

Os geólogos sabem que as rochas ígneas cristalizam quando submetidas ao grande calor dos vulcões. A fusão ocorre perto dos limites das placas e em pontos quentes. As rochas ígneas intrusivas originam quando grandes fluxos de rocha derretida ascendem para a superfície, mas ficam presas no subsolo, onde esfriam lentamente durante milhares ou milhões de anos. Essas rochas se moveram por longos percursos e têm grãos grandes. As rochas ígneas extrusivas são formadas quando o magma deixa uma câmara vulcânica e irrompe na superfície; em seguida, ele esfria muito rapidamente na superfície da terra como lava. Um geólogo sabe que as rochas extrusivas têm grãos menores e mais suaves.

Sedimentares

Os geólogos observam as características sedimentares na rocha, que é um dos traços mais comuns. As rochas sedimentares consistem em pedaços ou "clastos" que contêm outras rochas. Elas se movem através de forças naturais para depressões ou bacias onde ficam presas, permitindo que camadas de sedimentos se formem sobre elas. Com pressão suficiente, diferentes rochas se fundem e se colam. Pequenos grãos sedimentares clásticos começam como os de menores tamanhos com a argila e, em seguida, o lodo e depois a areia. Os geólogos podem ver as diferentes composições na rocha, examinando uma borda, indicando-lhes que é sedimentar na estrutura e origem.

Metamórfica

As rochas metamórficas podem conter uma combinação de estruturas ígneas sedimentares ou originais e, às vezes, uma versão metamórfica anterior de si mesmas. Os geólogos sabem que essas rochas sofreram alterações principalmente químicas, provocadas por pressões extremas, calor, dobras e indução por fluidos ricos em minerais. Em alguns casos, os minerais da rocha metamórficas originais se alteraram completamente a nível atômico para produzir minerais inteiramente novos. As rochas metamórficas acabaram cobertas, esmagadas e dobradas junto a outras rochas ou sobre si mesmas. Elas ficam dobradas, não como um resultado da fusão, mas pela influência de altas temperaturas e pressão contínua.

Orientação e profundidade

Os geólogos, muitas vezes, fotografam as rochas em sua posição natura, o que permite que os cientistas avaliem se qualquer elevação ou movimento ocorreu na área. Eles também observam e catalogam a camada de matriz de onde a pedra foi tirada, já que sabem que as rochas mais antigas vêm de grandes profundidades. Se um geólogo conhece a camada de matriz ou o nível de sedimentos, como triássico, jurássico ou mesozoico, eles podem atribuir uma idade aproximada à amostra de rocha.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível